Esportes

Mestre Mulato destaca a importância do reconhecimento da capoeira como patrimônio carioca

Mestre Mulato destaca a importância do reconhecimento da capoeira como patrimônio carioca

No último dia 7 a cidade do Rio de Janeiro celebrou, pela primeira vez, o dia municipal da capoeira, que entrou no calendário carioca neste ano através de um projeto de lei do vereador Marcelo Arar.

Presidente e fundador da Associação Cultural Capoeira Arte Expressão e idealizador do Movimento Capoeira é a Nossa Bandeira, Lázaro Emerich, o Mestre Mulato, destacou a importância da inclusão da modalidade no calendário do município e também o reconhecimento da capoeira como patrimônio cultural carioca.

“Para a gente essas conquistas são importantes devido às questões da política valorização. A capoeira já esteve em nosso código penal, então esses projetos de lei do Marcelo Arar servem para reforçar o valor da nossa arte”, exaltou.

Surgida no século 17, a capoeira era praticada no Brasil por escravizados africanos como forma de socialização e lembrança das origens. A técnica também era usada por escravizados e libertos como forma de defesa pessoal.

“A capoeira já era reconhecida em níveis estadual e federal, mas faltava o municipal. Reconhecer nosso valor é importante também porque nos ajuda a conseguir espaços para dar aulas e promover eventos”, explicou o Mestre Mulato.