Economia

Mercado prevê déficit primário de R$ 100,450 bi para 2016, mostra Prisma Fiscal

Às vésperas da divulgação do governo de sua previsão para as contas públicas de 2017 e da votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff pela Câmara, o mercado financeiro projeta um resultado primário cada vez pior para o Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) deste ano. Com este cenário, a expectativa é de que 2016 as contas sejam deficitárias em R$ 100,450 bilhões, de acordo com pesquisa Prisma Fiscal feita pelo Ministério da Fazenda com bancos, corretoras e consultorias. No mês passado, a previsão já previa déficit, mas era um pouco mais otimista, com um resultado negativo de R$ 79,473 bilhões.

As expectativas do mercado são mais pessimistas que as do governo, que enviou um projeto ao Congresso Nacional para pedir que o resultado deste ano seja deficitário em R$ 96,6 bilhões. Com a votação do impeachment, a matéria ainda nem começou a ser apreciada pelos parlamentares.

Para 2017, as previsões do mercado financeiro pioraram mais uma vez. Agora, os analistas esperam um déficit 30% maior do que no relatório do mês passado. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 14, a previsão é de que 2017 termine com um rombo de R$ 103,514 bilhões ante uma expectativa, também deficitária, de R$ 71,33 bilhões. O governo enviará amanhã a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2017 ao Congresso Nacional.

Mesmo prevendo um resultado superavitário para abril, os analistas estão mais pessimistas para este mês. A previsão é de que o mês termine com um superávit de R$ 3,620 bilhões, mas a expectativa anterior era de R$ 5,050 bilhões.

A previsão é que a dívida bruta encerre 2016 em 74,35% do PIB, acima do que esperavam os analistas no mês passado, quando a previsão era de 74,15% do Produto Interno Bruto (PIB). Com a queda na atividade econômica, o mercado projeta ainda uma queda na arrecadação de tributos federais de R$ 1,278 trilhão em 2016. A previsão no mês passado era de R$ 1,285 trilhão. A receita líquida do governo central deve fechar 2016 em R$ 1,093 trilhão e a despesa, em R$ 1,194 trilhão. Enquanto as projeções de receita caíram, as de despesa subiram.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Entre os dados que justificam uma piora no resultado de abril está uma queda na arrecadação para este mês. Os analistas esperam que a arrecadação dos tributos federais somem R$ 112,449 bilhões, ante R$ 113,264 bilhões. A receita líquida deve fechar o mês em R$ 99,766 bilhões, e a despesa líquida, R$ 96,927 bilhões.

O relatório fez projeções para os próximos dois meses. Em maio, o resultado primário deve ser deficitário em R$ 13,726 bilhões. A arrecadação deve somar R$ 96,157 bilhões, a receita líquida, R$ 77,876 bilhões, e a despesa líquida, R$ 91,910 bilhões.

O mercado espera ainda um resultado primário do governo central deficitário em junho, com um rombo de R$ 11,267 bilhões. A arrecadação deve chegar a R$ 99,891 bilhões, a receita líquida, R$ 83,626 bilhões, e a despesa líquida, R$ 94,867 bilhões.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ Modelo e atriz italiana paga promessa e posta foto ‘só de máscara’ após vitória da Lazio
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel