Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Um menino de 8 anos matou um bebê e feriu outra criança neste fim de semana no estado da Flórida, enquanto brincava com a arma de seu pai, uma tragédia comum nos Estados Unidos.

O pai, Roderick Randall, 45, foi preso e acusado de negligência culposa, posse ilegal de arma de fogo e ocultação de provas, informou Chip Simmons, xerife do condado de Escambia.

O drama ocorreu em um motel onde o homem, que possuía ficha criminal, havia se encontrado com a namorada. Ele havia ido até o local com o filho, e ela, com filhos gêmeos de 2 anos e um bebê de 1.

Em um determinado momento, Randall se ausentou e deixou a arma em um armário, informou o xerife em entrevista coletiva. Sabendo disso, “seu filho a pegou e começou a brincar com a mesma. Ele atirou na criança de 1 ano e a matou. Depois de atravessar o corpo do bebê, a bala feriu uma das outras crianças.”

Segundo o xerife, a mãe das vítimas dormia no momento do ocorrido. Quando Randall retornou, retirou a arma e algumas substâncias, provavelmente drogas, do quarto, antes da chegada da polícia.

“A cada ano, centenas de crianças nos Estados Unidos têm acesso a armas carregadas sem segurança em armários e gavetas, mochilas e bolsas, ou, simplesmente, deixadas expostas”, aponta um relatório da ONG Everytown For Gun Safety.

“Com uma regularidade trágica, crianças encontram essas armas e, sem intenção, atiram em si mesmas ou em outra pessoa”, acrescenta a ONG, que defende um aumento da regulação das armas de fogo e estima que esses “disparos não intencionais” efetuados por menores causem cerca de 350 mortes por ano.

De forma geral, as armas de fogo causam cerca de 40.000 mortes por ano nos Estados Unidos, incluindo suicídios, segundo o site Gun Violence Archive.