Esportes

Mbappé decide seguir no PSG e decepciona Real Madrid

Apesar de meses de rumores e especulações que o colocaram muito perto do Real Madrid, Kylian Mbappé acabou decidindo renovar com o Paris Saint-Germain até 2025.

“Tenho boas notícias”: poucos minutos antes do início da última partida do campeonato contra o Metz, o presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al Khelaifi, provocou ainda mais a euforia dos torcedores no Parque dos Príncipes e depois oficializou a renovação do astro francês.


A notícia havia vazado algumas horas antes para a imprensa e importantes meios de comunicação franceses e espanhóis já haviam adiantado a decisão de Mbappé.

Juntamente com Al Khelaifi, o próprio Mbappé subiu ao pódio montado para a ocasião antes do jogo contra o Metz e se dirigiu brevemente aos fãs.

“Estou muito feliz por ficar na França, em Paris, na minha cidade. Espero continuar fazendo o que mais gosto, jogando futebol e ganhando troféus”, disse.

A curta cerimônia de três minutos oficializou à informação que circula na imprensa e serviu de complemento perfeito para uma noite festiva no Parque dos Príncipes, onde o PSG se despediu de uma temporada em que conquistou o décimo título na liga francesa.

De acordo com diversos meios de comunicação, Mbappé havia comunicado sua decisão ao presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, que já havia tentado adquirir o atacante há um ano, sem sucesso.

O presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, não escondeu sua revolta em uma mensagem no Twitter: “O que o PSG vai fazer renovando Mbappé com grandes quantias de dinheiro (sem saber onde e como ele as paga) depois de registrar perdas de cerca de 700 milhões de euros (739 milhões de dólares) nas últimas temporadas e ter mais de 600 milhões de euros (633 milhões de dólares) em salários é um INSULTO ao futebol (presidente do PSG, Nasser) Al Khelafi é tão perigoso quanto a Superliga”.

A Liga espanhola anunciou horas depois que vai apresentar uma “denúncia” contra o Paris Saint-Germain para defender “o ecossistema econômico do futebol europeu e a sua sustentabilidade”, perante a Uefa, as autoridades administrativas e fiscais de França e perante os órgãos competentes da União Europeia.

Por fim, Kylian Mbappé, nascido há 23 anos em Bondy (perto de Paris), optou pela continuidade e por ser fiel ao clube que o contratou em 2017, “quando ainda não era ninguém”, segundo as próprias palavras do jogador em maio de 2021.

– Reviravolta –

Depois de mais uma temporada excepcional, mas manchada pelo PSG pela eliminação justamente contra o Real Madrid nas oitavas de final da Liga dos Campeões, Mbappé teria obtido as garantias esportivas que pediu para ficar e seria colocado no “centro do projeto”.

Os torcedores do PSG chegaram a temer a saída de Mbappé do time, pois a imprensa supôs por muito tempo que o craque da seleção francesa acabaria se juntando ao seu compatriota Karim Benzema no ataque do Real Madrid.

O clube merengue viveu um otimismo durante muito tempo. O seu presidente Florentino Pérez tinha proposto contratar este ‘galático’ como símbolo da nova fase do clube, que procura um novo ídolo de primeira linha desde a saída de Cristiano Ronaldo em 2018.

Segundo a imprensa, Mbappé se tornará o jogador do PSG com maior salário, superior aos de Lionel Messi e Neymar.

– O adeus de Di María –

Mbappé chegou ao PSG em 2017, quando tinha apenas 18 anos, vindo do Monaco, numa transação que alcançou o montante de 180 milhões de euros (190 milhões de dólares).

O craque quase se sagrou campeão da Liga dos Campeões em 2020, quando o PSG chegou à final, mas perdeu por 1 a 0 para o Bayern de Munique, em Lisboa. Mbappé chegou com problemas físicos àquela final na capital portuguesa.

Resta agora definir detalhes sobre o elenco do Paris Saint-Germain para a temporada 2022-2023. Alguns pesos pesados vão deixar o time, como o argentino Ángel Di María, que depois de sete anos que fizeram dele o jogador com mais assistências da história do clube, deixa o PSG no final desta temporada.

“Ángel Di María fez história no clube”, disse o presidente Al Khelaifi em comunicado do clube divulgado na sexta-feira.

A outra grande questão sobre o PSG na próxima temporada diz respeito ao futuro do técnico argentino Mauricio Pochettino, que tem contrato até 2023, mas pode deixar o cargo após a decepção da última Liga dos Campeões.

ah-eba/jta/ll/kn/dr/iga/aam





Tópicos

ESP fbl FRA