Tecnologia & Meio ambiente

Máscaras fabricadas em casa são eficazes?

Máscaras fabricadas em casa são eficazes?

Uma jovem usando uma máscara de proteção caminha em Moscou - AFP

É preferível usar uma máscara caseira a não cobrir o rosto? Apesar da falta de dados científicos, alguns médicos defendem essa opção, principalmente para evitar infectar outros quando estão doentes com o Covid-19.

“Muita gente pensa que usando uma máscara se protege contra o contágio, já que isso reduz as fontes de transmissão”, disse à AFP o Dr. KK Cheng, especialista em saúde pública da Universidade de Birmingham.

A autoproteção “funciona se todo mundo usa uma e, nesse caso, uma máscara muito básica é suficiente, pois um pedaço de pano pode bloquear” as gotículas de saliva que um paciente projeta, acrescenta. “Não é infalível, mas é melhor do que nada”.

No caso do coronavírus, essa medida é ainda mais importante, pois muitas pessoas são assintomáticas e a transmitem sem saber, lembra Cheng.

Mas, ao mesmo tempo, faltam dados científicos para demonstrar sua eficácia.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

“Não sabemos muito bem se as máscaras faciais caseiras reduzem a transmissão, houve pouca pesquisa a respeito”, disse à AFP Benjamin Cowling, epidemiologista da Universidade de Hong Kong.

Em 2013, um estudo da Universidade de Cambridge concluiu que, no caso de uma pandemia de gripe, essas proteções devem ser usadas como “último recurso”.

Os médicos também lembram que seu uso não deve reduzir as medidas de barreira, como lavar as mãos.

– Escassez –

O fato de o uso generalizado de uma máscara não ser necessário em muitos países europeus após o surto da pandemia surpreendeu a Ásia.

“O grande erro nos Estados Unidos e na Europa é que as pessoas não usam máscaras”, disse Gao Fu, chefe do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças, em entrevista à revista Science na sexta-feira.

“Colocar uma máscara não faz parte da cultura ocidental”, argumenta Cheng, que também destaca que as autoridades podem ter evitado recomendar seu uso geralizado para impedir que a população recorressem às máscaras cirúrgicas reservadas a funcionários de saúde.

“Há uma incrível escassez” desses produtos, diz o pneumologista francês Nicolas Hutt, ecoando um problema que ocorre em outros países europeus, como a Espanha.

Hutt também convida a população a usar “máscaras alternativas, artesanais ou especializadas para a indústria”.

– “Telas” –

“Basicamente, elas atuam como telas antiprojeções” quando usadas pela população, diz este médico.

Tutoriais caseiros podem ser facilmente encontrados online, às vezes até procedentes de hospitais.

Nos últimos dias, vários países da Europa mudaram sua posição oficial: na Eslovênia e na República Tcheca é obrigatório usá-las e a Áustria anunciou na segunda-feira que quer vendê-las nos supermercados.

Até marcas de luxo estão envolvidas: Saint Laurent, Gucci, Balenciaga e Chanel anunciaram sua intenção de fabricar máscaras em suas fábricas.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel