Mundo

Máscaras evitaram 30 mil casos de Covid na Itália, diz estudo


MILÃO, 26 FEV (ANSA) – Um estudo conduzido por uma das mais renomadas universidades da Itália apontou que o uso disseminado de máscaras de proteção evitou pelo menos 30 mil contágios na primeira onda da pandemia do novo coronavírus no país, entre março e maio de 2020.   

Ao longo daqueles três meses, a Itália registrou pouco mais de 230 mil casos do Sars-CoV-2 e 33,4 mil óbitos por Covid-19, tornando-se um dos países mais atingidos pela pandemia em todo o mundo.   

Pesquisadores da Universidade de Pádua utilizaram modelos matemáticos para confrontar os dados de oito regiões similares do ponto de vista demográfico, mas que adotaram medidas diferentes para conter o novo coronavírus.   

Segundo o bioengenheiro Morten Gram Pedersen, coordenador do estudo, que foi publicado na revista Infectious Diseases, o lockdown nacional foi o principal fator para frear a disseminação do vírus. “Mas em algumas regiões identificamos quedas maiores na transmissão viral a partir de meados de abril, período que corresponde com o fornecimento de máscaras gratuitas e/ou a obrigação de usá-las”, disse Pedersen.   

De acordo com o pesquisador, regiões que não tomaram medidas específicas além daquelas de âmbito nacional não tiveram reduções na transmissão na mesma velocidade.   


+ MS: Homem que revelou amante pouco antes de ser intubado deixa UTI-covid
+ Ratinho critica Dudu Camargo: ‘Só o Silvio gosta dele’



“Diversos estudos recentes apoiam o uso de máscaras, e nosso trabalho está em linha com outros conduzidos recentemente na Alemanha e nos Estados Unidos, que correlacionam o uso de máscaras à redução do contágio por Covid-19”, ressaltou o coordenador.   

No entanto, o coautor do estudo, Matteo Meneghini, destacou que, em situações críticas, o uso de máscaras “por si só é insuficiente” e deve ser acompanhado de outras medidas de contenção, como lockdown parcial ou total.   

A Universidade de Pádua fica na cidade homônima e é considerada a segunda melhor instituição pública com mais de 40 mil alunos na Itália, de acordo com o centro de pesquisa Censis. Desde o início da pandemia, a Itália soma quase 2,9 milhões de casos confirmados e cerca de 97 mil mortes. (ANSA).   

Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Descoberta no deserto do Kalahari leva a revisão da origem humana
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Vídeo: o passo a passo de como fazer ovo de Páscoa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS