Mundo

Máscaras dominam Malecón no início do desconfinamento em Havana

Máscaras dominam Malecón no início do desconfinamento em Havana

Homem pesca no Malecón no primeiro dia de desconfinamento na capital cubana - AFP

Enfim, Lázaro pôde sair para pescar, Dayli, para nadar e Fernando para correr no Malecón de Havana. Após mais de 100 dias de confinamento, a capital cubana retomou seu romance com o mar, embora sem turistas estrangeiros.

“Sinto alegria, porque é disso que gostamos, da pesca. Estamos aqui felizes, respeitando as normas”, diz o pescador Lázaro Castillo, 55, que não dispensou a máscara de proteção.

Havana é o último foco de Covid-19 na ilha, mas como registra poucos casos diários, o governo autorizou hoje a primeira das três fases de desconfinamento, no momento em que quase todo o país já está na segunda fase. No caso da capital, estão sendo retomados gradualmente o transporte público e algumas atividades de comércio e serviços, bem como a reabertura das praias e do turismo doméstico.

Mal amanheceu, o motorista Lázaro seguiu com cinco amigos par o Malecón, que se estende por sete quilômetros sobre a costa da capital e é um ponto de encontro obrigatório de moradores e turistas. Até hoje, a ilha, de 11,2 milhões de habitantes, registrava 2.361 casos e 86 mortes, motivo pelo qual se considera a doença sob controle.

+ Briga de vizinhos termina com personal trainer morta a facadas no interior de SP

“Feliz 3 de julho, em que toda a ilha entra na etapa pós-Covid-19. Que a alegria não nos faça esquecer a responsabilidade. Hoje ganhamos uma batalha, mas ainda não vencemos a guerra”, tuitou o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel.

Cerca de 200 pessoas compareceram nesta sexta-feira à “Playita 16”, trecho da costa do oeste da capital, para um mergulho no mar. A poucos metros da praia, o gerente da cafeteria estatal “El Arrecife”, Daniel Rodríguez, queixava-se do prejuízo causado pela pandemia: “Vendíamos 1.700 CUC por dia, agora chegamos a apenas 500.”

No momento, turistas estrangeiros só podem chegar às pequenas ilhas que rodeiam o território cubano, sem ter contato com os cidadãos. A reabertura do país ao turismo, motor da sua economia, pode acontecer depois de agosto.

Apesar da retomada, vários moradores preferiram se manter em quarentena e alguns ônibus circulavam praticamente vazios.

Veja também

+ Quarta parcela do auxílio sai hoje (14) para os nascidos em agosto

+ Cunhado de Maradona morre de Covid-19 na Argentina

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?