Economia

Marinho: fila da INSS não atrapalhará estratégia da reforma administrativa

A necessidade de reforçar o contingente de trabalhadores do INSS para reduzir a fila de espera por benefícios não vai atrapalhar o discurso do governo em defesa da reforma administrativa, defendeu nesta terça-feira, 14, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. “Temos convicção de que o Estado brasileiro precisa ser do tamanho que a sociedade pode suportar”, disse.

O governo já tem restringido a realização de concursos para repor vagas de aposentados. Mas a equipe econômica planeja apresentar ao Congresso Nacional uma proposta de reforma administrativa para flexibilizar a estabilidade para os novos servidores e enxugar o tamanho da máquina pública.

Para Marinho, a decisão do INSS de contratar temporariamente militares da reserva para ajudar na força-tarefa não vai de encontro à política do governo, pelo contrário. “Estamos trazendo grupo de pessoas com capacidade, ao longo de um período de tempo. Quando isso ocorrer (normalização da fila), não haverá mais necessidade dessa mão de obra”, disse.

“São situações completamente distintas. O governo tem obrigação de dar uma resposta ao problema e ao reclame da sociedade. A sociedade está querendo resposta mais rápida e nós estamos dando resposta mais rápida. Estamos resolvendo com armas que a legislação nos permite”, afirmou.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Veja também

+ Seu cabelo revela o que você come (e seu nível socioeconômico)

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Gésio Amadeu, o Chefe Chico de Chiquititas, morre após contrair Covid-19

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?