ISTOÉ Gente

Marina Ruy Barbosa: “Não guardo rancor, mas guardo mágoas”

Crédito: Reprodução/Instagram

A atriz Marina Ruy Barbosa concedeu entrevista exclusiva à Revista Glamour e falou sobre diversos assuntos, entre eles, a forma como lida com ‘rancor e mágoas’.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

“Eu não sou de guardar rancor, mas eu guardo mágoas. E isso é muito ruim, porque só é ruim para quem está sentindo, né? Mas eu acho que pelo fato de ser sensível, você acaba sentindo tudo de uma forma muito intensa. Então, quando você se decepciona com alguém, quando você se frustra com alguém, você pode acabar (como você tem a memória boa) guardando aquilo”, disse ela sobre suas fraquezas.

Questionada sobre ‘desapegada’, Marina explicou o que pensa sobre o tema. “Sempre foi muito apegada às pessoas da minha vida, mas quando me decepcionava, por exemplo, ex-namorado, eu fazia assim: não está me fazendo bem, eu já desapegava em 3, 2, 1”.

Veja também

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Após cogitar ficar longe da TV, Edu Guedes estreia na Band e ‘rouba’ horario de Mariana Godoy

+ Uma moto 0km, desde 1977 na caixa, vai a leilão e valor pode chegar a mais de R$ 190mil

+ Kit transforma BMW R nineT em réplica de moto dos anos 1930

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea