Brasil

Marina: eleições de 2014 é que tiveram problema de legitimidade, não essa

A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, assim como já fizeram outros candidatos, discordou de declarações dadas ao jornal O Estado de S. Paulo pelo comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que lamentou o clima de radicalismo no País e afirmou que “a legitimidade do novo governo pode até ser questionada”.

Segundo Marina, a legitimidade é dada pelo eleitor e todos os candidatos que estão na disputa, principalmente depois que a Justiça impediu a candidatura do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, estão dentro da legalidade para disputar o cargo.

“Quem dá legitimidade é o eleitor, é o cidadão. Todos os candidatos que estão participando estão dentro das regras”, disse durante sabatina do jornal O Globo, afirmando que em 2014 houve um problema de legitimidade muito maior. “Vejo um problema de legitimidade muito maior nas eleições de 2014. O PT e o PSDB usaram dinheiro de caixa 2, o que é crime. Se eu ganhar vou criminalizar o caixa 2”, comentou.

Na mesma entrevista, Marina também rebateu declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de que faltaria “malignidade” na candidatura da ex-petista. “Tem que virar essa página de que para governar precisa de malignidade, precisamos de dignidade”, disse Marina.

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel