Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O documentário “Phoenix Rising”, da HBO, está cheio de denúncias e detalhes dos abusos que Marilyn Manson cometia contra suas namoradas. Uma delas, Evan Rachel Wood, contou que o cantor não a deixava tomar anticoncepcionais e a obrigou a cozinhar após ela fazer um aborto.

BBB22: ‘Agora o quarto te vê como aliada’, diz Gustavo para Natália sobre Lollipop

Após anunciar segunda gravidez, Virgínia mostra primeiro ultrassom

De acordo com as informações do “New York Post”, Evan disse que o estopim para sua tentativa de suicídio foi a forma como o então namorado a tratou depois dela abortar um filho dele. “Desde o início do nosso relacionamento, ele sempre teve problemas com qualquer anticoncepcional que eu estivesse usando. Passei por todos os tipos para ver qual ele gostava, e ele não gostava de nenhum deles. Então, essencialmente, ele não queria que eu usasse anticoncepcionais”, começou a atriz.

“Ele ignorou o aborto. No segundo em que acabou [o procedimento], disse algo como: ‘faça-me o jantar.’ Lembro-me de pensar: ‘eu tenho que, meu corpo passou por esse trauma, há consequências…’ E ele não se importou. Entrei no banheiro e peguei um copo e o quebrei no chão e comecei a enfiar nos meus pulsos o máximo que pude”, detalhou.

O documentário em duas partes tem previsão de estreia para dia 15 (terça-feira) no canal HBO dos Estados Unidos e no serviço de streaming HBO Max.