Esportes

Marcelo Demoliner tenta mostrar rotina de um tenista para além das quadras


Viajar, jogar, ganhar, perder, viajar, treinar, ganhar, ganhar, perder, treinar, viajar. Essa é a rotina de um tenista profissional. Nos últimos meses, Marcelo Demoliner, duplista que disputa os maiores torneios da modalidade no circuito profissional e defende o Brasil na Copa Davis, tenta mudar um pouco esse panorama. Usando as redes sociais e um canal no YouTube, o gaúcho de 33 anos passou a revelar o seu dia a dia.

“A ideia nunca foi aumentar os meus seguidores ou ganhar certa fama. Comecei a fazer vídeos nas minhas redes sociais e depois fui para o canal no YouTube, o ‘DEMOnstrando a vida de tenista’, para mostrar como era o dia a dia”, conta o tenista. “Eu tenho muito prazer em conseguir demonstrar isso para as pessoas. Tento deixar claro como é a nossa vida, com todos os desafios, tudo que o tenista tem que abdicar, mas também a parte legal que existe na rotina. A ideia é mostrar os bastidores mesmo, para que todos entendam e vejam como é tudo.”

Segundo Demoliner, a ideia dos vídeos partiu de amigos e da curiosidade de conhecidos. “Todas as vezes em que eu voltava de viagem alguém me perguntava como eram as coisas nos grandes torneios, o que eu podia fazer, o que eu não poderia, tudo. Com isso eu decidi fazer o primeiro vídeo. O retorno da galera foi bom, fiz o segundo, o terceiro, o quarto e assim foi acontecendo. A ideia é matar a curiosidade das pessoas.”

Em uma de suas “aventuras” mostrando os bastidores dos grandes torneios de tênis pelo mundo, Marcelo Demoliner foi surpreendido pelo acaso. Na última edição de Roland Garros, na França, a organização do Grand Slam inaugurou uma estátua para o espanhol Rafael Nadal, tenista ainda em atividade que é o maior campeão do torneio francês na história. No meio de sua gravação, Demoliner percebeu que alguém o observava e acabou tendo que pedir uma foto.

“Eu estava gravando e mostrando os detalhes da estátua, que é de aço e tem cerca de três metros, e tive que parar um pouco. O Rafael Nadal estava lá vendo a estátua também. Era a primeira edição de Roland Garros com ela e o espanhol foi lá ver bem na hora que estava vendo. Parei tudo e pedi uma foto na estátua com a estátua”, conta o brasileiro.

2022 DIFERENTE

No fim de 2021, Demoliner decidiu parar um pouco e cuidar do corpo. Sofrendo com dores e problemas físicos desde março, o tenista decidiu tratar o joelho direito e a saída foi uma operação, realizada no início de novembro. Inicialmente, o problema parecia simples de resolver. Mas as dores não pararam em sua tentativa de retomar os treinos e o duplista precisou ser submetido a nova cirurgia, no primeiro trimestre de 2022.

O novo procedimento alterou todo o planejamento do tenista para a atual temporada. Ele perdeu o Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano, em janeiro. E também o Rio Open, principal torneio brasileiro, que era sua meta inicial, de olho na gira de saibro da Europa. O retorno na terra batida seria providencial por exigir menos dos joelhos.

“Eu precisei parar para cuidar das dores e a meta era estar de volta para as quadras no Australian Open, mas não foi possível. Agora o objetivo é voltar a jogar estando saudável e sem dor, o que já não acontece há algum tempo”, explica o tenista, que não tem data exata ainda para voltar ao circuito.

Com o retorno às quadras, os fãs poderão ter acesso novamente aos bastidores do mundo do tênis. “Pretendo estar de volta nos próximos meses, vou jogar alguns torneios menores para pegar ritmo e depois vou para os maiores. Voltando ao circuito, a rotina de vídeos também volta. O planejamento já era para ter voltado, mas vamos com calma”.