Geral

Marca brasileira é a primeira a desenvolver vestuário com tecnologia antiviral para profissionais de saúde

Crédito: Divulgação

Ao todo, mais de 83 mil profissionais de saúde, que estão na linha de frente ao combate do novo coronavírus, foram infectados pelo vírus em todo país até 1º de junho, a grande maioria médicos e profissionais de enfermagem, segundo o Ministério da Saúde. O afastamento destes profissionais do trabalho impacta ainda mais o atendimento à população, sobrecarregando o sistema. Segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), hoje o Brasil possui em torno de 455 mil médicos. Já o número de enfermeiros está na casa dos 1.400.000 em todo país, de acordo com dados do COREN.

E foi pensando neste público que a Kos, marca brasileira especializada em vestuário profissional com alta tecnologia, chega ao mercado lançando no Brasil a primeira linha profissional com tecnologia antiviral, trazendo mais proteção e tranquilidade no dia a dia destes profissionais.

A tecnologia usada, Truelife® SHIELD FAST, comercializada pela Diklatex e inédita no país em produtos voltados para a área da saúde, será aplicada em uma coleção especial da Kos, composta de jaleco, scrub, máscaras e camisetas, que aliam alta tecnologia, segurança, conforto e design para as peças de uso diário destes profissionais.

A tecnologia antiviral aplicada nos produtos da Kos garante a inativação e destruição de mais de 99% dos vírus em até 2 minutos, e 100% em até 10 minutos para influenza H1N1, H3N2, H5N1, H7N9, vírus sincicial respiratório (RSV) e Coronavírus Humano (229E). A tecnologia já foi testada na Austrália, comprovando eficiência contra o SARS-COV2 (Covid 19), com testes em andamento também no Brasil em laboratório de classe de segurança NB-3.

A tecnologia tem a capacidade de atrair e se ligar permanentemente ao vírus. Em sequência ela desestabiliza e rompe o envelope viral com seu duplo mecanismo de ataque derrotando o vírus. Essa tecnologia também possui o efeito antimicrobiano, que evita o crescimento de fungos e bactérias, e consequentemente, reduz odores e manchas no tecido. Sua duração tem eficácia garantida por até 30 lavagens caseiras.

“Foram inúmeros testes internacionais para comprovar a eficácia da tecnologia, incluindo para o novo coronavírus humano. Temos um laudo australiano e estamos dentro das normas de segurança ABNT e ISO”, ressalta André Jativa, diretor-executivo da Diklatex, empresa fornecedora da solução tecnológica.

A proposta da Kos, que já estava prevista para ser lançada este ano, é entregar produtos de design e tecnologia com uso de nanotecnologia. Todos os demais produtos da marca possuem tecnologia que repele líquidos e resiste a manchas, além de ser antimicrobiano, entregando mais praticidade e segurança aos profissionais de saúde em seu dia a dia.

“Nossa proposta de valor desde o início foi entregar performance e design para os profissionais de saúde desempenharem sua função, que é quase um chamado. Para isso, agregamos nanotecnologia em todos nossos produtos. Quando a pandemia começou, percebemos que precisávamos incorporar a proteção antiviral a quem está mais exposto ao vírus, trazendo mais segurança para quem atua na linha de frente. Compartilhamos esse desafio com nosso parceiro para chegarmos a uma solução de tecnologia necessária para vestir nossos heróis nesse momento”, explica Samuel Veloso, CEO da Kos.

A Kos integra o grupo BRTC, especializado no mercado hospitalar com uniformes e EPIs descartáveis. Criada para atender diretamente os profissionais de saúde, a Kos nasce da demanda por produtos mais inovadores dessa área, que atualmente movimenta R$10 bilhões. Com sede administrativa em São Paulo, a empresa mantém uma estrutura de produção e armazenagem em Brusque (SC), e opera por meio de 70 parceiros de produção que geram mais de 1.200 postos de trabalho na região e possuem capacidade para produzir 100 mil peças por semana.

Veja também

+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel