Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Você tem certeza que conhece sua vagina? Se tocar e se observar ainda são tabus, e a consequência é a falta de autoconhecimento, que pode resultar em uma série de problemas, tanto sexuais quanto de saúde íntima.

+ Dicas de masturbação durante o banho para ter benefícios além do prazer

+ Alarga se usar muito? Pode lavar? Desvende 5 mitos sobre a vagina

A vagina é um órgão delicado, por isso, requer atenção em cada parte. Afinal, você sabe diferenciar seu clitóris da uretra, por exemplo? Com informações do “The Sun”, confira a seguir um “mapa da vagina”, com tudo o que você precisa saber e conhecer sobre o assunto.

Prazer, vagina!

Talvez você não saiba, mas a vagina é um tubo muscular que se estende de uma abertura na parte externa do corpo até o colo do útero. É a responsável por várias atividades, como sexo, menstruação e parto, por exemplo. 

Depois do intestino, essa é a região do corpo humano que hospeda mais bactérias do que em qualquer outro órgão. Mas calma, isso não significa um problema, nem mesmo que você deve realizar uma “lavagem íntima”, ao contrário, essas são bactérias amigáveis. 

A vagina é autolimpante. “Se você lavar as boas bactérias, as bactérias patogênicas são mais capazes de causar um problema, por exemplo, uma infecção como a vaginose bacteriana (BV) — condição caracterizada por cheiro forte como peixe, que precisa de tratamento com antibióticos”, esclarece a ginecologista Tania Adib.

Os lábios vaginais

A vulva (toda a parte externa) é composta pelos grandes e pequenos lábios vaginais. O que poucas mulheres sabem é que, assim como todo o corpo, é uma região com características individuais, ou seja, tudo bem se seus lábios não forem rosados e pequenos.

Essa região merece cuidados especiais. “Os tecidos dos lábios, como toda a região vulvar, são delicados. Você pode lavar com sabão bem suave, ou hidratante simples, mas nada com cheiro”, comenta Tania.

Essa região também precisa estar sempre bem arejada. A médica recomenda: “É melhor usar calcinha de algodão. Tecidos e tangas sintéticos e apertados permitem que a área fique úmida e quente, e as bactérias ruins adoram essa atmosfera”.

Ainda é necessário hidratar a vulva, assim como as demais partes do corpo. No entanto, a região requer produtos específicos para a área, que atuem como uma barreira protetora. Outra opção aprovada pela ginecologista é o óleo de coco — sem exagero e com orientação profissional.

O clitóris

O clitóris é parte mais famosa, porém uma das menos compreendidas do corpo feminino. Poucos sabem, mas essa é a única parte do corpo humano voltada somente para o prazer, com 8 mil terminações nervosas. Inclusive, é o caminho do orgasmo para a maioria das mulheres. 

A parte visível do clitóris é apenas a “ponta do iceberg”, visto que ele se estende até 13 centímetros para dentro, ramificando-se em ambos os lados do canal vaginal

A uretra

No sexo, algumas pessoas costumam confundir a uretra com o clitóris e acabam estimulando a área errada. A uretra é um tubo, localizado entre o clitóris e a vagina, que transporta a urina para fora do corpo da bexiga. 

Nas mulheres, a uretra tende a ser mais curta, deixando-as mais propensas às infecções do trato urinário (ITUs), pois as bactérias têm menos distância para chegar à bexiga.

Não se pode ignorar os cuidados dessa região. “Sempre limpe da frente para trás após usar banheiro, especialmente quando fizer cocô. Isso torna menos provável que os germes entrem na uretra. Além disso, sempre faça xixi depois do sexo, para eliminar qualquer bactéria que possa ter entrado”, finaliza Tania.