Economia

Manuela D’Ávila defende revogação da reforma trabalhista

A pré-candidata à Presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, defendeu em discurso nesta terça-feira, 1, a revogação da reforma da trabalhista e a não votação da reforma da Previdência. “Este é o 1º de maio sem a CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas como nós a conhecemos”, disse durante evento para a comemoração do dia do trabalhador organizado pela Força Sindical na capital paulista.

Manuela D’Ávila ressaltou que a reforma trabalhista retira direitos e faz com que os empregados trabalhem muito mais. “É possível construir e realizar o sonho de um grande Brasil, que se desenvolva valorizando o trabalho e os trabalhadores, revogando a reforma trabalhista, impedindo que a reforma da Previdência seja votada”, afirmou ela em rápido discurso.

A pré-candidata lamentou ainda em seu discurso o desabamento do prédio ocupado hoje no centro de São Paulo. “Este é um primeiro de maio sem muitas razões para comemorar.” Manuela fez rápido discurso, porque teve que deixar o evento para se deslocar a Curitiba, onde participa ainda hoje de outro ato, organizado pela CUT.

Além dela, outros dois pré-candidatos participaram do evento da Força Sindical hoje, o ex-ministro Aldo Rebelo, pelo partido Solidariedade, e o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, pelo PSC.