Esportes

Mano valoriza posse de bola em goleada e pede paciência à torcida do Palmeiras

O técnico Mano Menezes segue com 100% de aproveitamento no Palmeiras. A quinta vitória aconteceu na noite desta quinta-feira, por 6 a 2, sobre o CSA, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após a partida no Pacaembu, o treinador elogiou o elenco e valorizou a posse de bola de 66%. Ele também pediu paciência à torcida alviverde, que chegou a vaiar quando a equipe trocava passes no setor defensivo.

“Eu dependo muito da qualidade dos jogadores que dirijo. Quando olhamos o grupo que tínhamos, era possível detectar que tínhamos qualidade para jogar assim. A equipe fez um primeiro turno bom até a Copa América, já falamos muito disso, teve a queda de produção e iniciou a retomada. E, paralelamente a essa chegada das vitórias, a ideia de trabalhar um pouco mais a posse, a construção das jogadas com a bola mais tocada de trás”, afirmou Mano Menezes.

“Na medida em que os resultados vêm, a confiança vai tendo um incremento bom, os jogadores se sentem mais à vontade. Foi o nosso melhor jogo em posse, controle de jogo e criação de oportunidades. As coisas estão andando bem. Quando as coisas andam bem, a tendência é a melhora da equipe acompanhar isso”, completou o treinador.

Ao ser questionado sobre os seis gols marcados pelo Palmeiras, Mano analisou a postura dos seus comandados no segundo tempo. A equipe fez quatro gols no primeiro tempo, sofreu um no início da etapa final e marcou mais dois antes de o CSA fechar o placar.

“Aproveitar a oportunidade para falar com o torcedor do Palmeiras. Era muito natural que o CSA, quando encerra o primeiro tempo perdendo de 4 a 0, voltasse para o segundo com cuidados defensivos para não sofrer uma derrota maior. Nós, a partir deste momento, tivemos que ter mais paciência para construir as jogadas de ataque. Rodamos mais a bola. Neste momento, o torcedor ficou um pouquinho mais impaciente, querendo apressar a equipe. Temos que achar o equilíbrio entre torcedor e a equipe para nós entendermos que a maneira de construir a jogada é como fizemos o quinto e o sexto gols”, destacou Mano, para depois pedir paciência dos torcedores.

“Jogadas bem trabalhadas, com qualidade. Perdemos mais duas chances com jogada trabalhada. Isso requer um pouquinho de paciência e entendimento do torcedor de que é essa a maneira que a equipe vai construir as jogadas, com um jogo mais no chão, trabalhado”, reforçou.

Mano também traçou um panorama tático sobre como espera ver o seu time jogando. “As coisas precisam vir acompanhadas de outras. Na medida em que trabalhamos mais a bola, temos que ter variação de movimentação. Às vezes, a busca dessa variação desorganiza uma equipe. Atacar é sempre mais difícil. Você encontra espaço, começa a movimentar demais… sofremos os dois gols por isso. Saímos para movimentar, construir a jogada, quando perdemos a bola o lado contrário estava muito vazio. Eles tiveram muito tempo para dominar e levantar a cabeça”, analisou.

“Temos que encontrar esse equilíbrio, essa confiança e coordenação da equipe para fazer essa movimentação. Quando o Dudu sair do lado de cá para construir, quando perdermos a bola, nem sempre ele vai voltar, outro tem que fazer a recomposição. Isso demora um pouquinho”, acrescentou o técnico.

Com a goleada sobre o CSA, o Palmeiras se manteve a três pontos do líder Flamengo. Na próxima rodada, a equipe alviverde visita o Internacional no domingo, às 16 horas, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Fotos íntimas de apresentadora italiana são vazadas em aplicativos de mensagens no Brasil
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Após se aposentar da Globo, Sérgio Chapelin aparece com novo visual; veja
+ Nick Cordero morre aos 41 anos, vítima de complicações da Covid-19
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior