Geral

Manipular números é lealdade militar burra e genocida, diz Mandetta

Crédito: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou neste sábado (6) que a decisão do Ministério da Saúde de não mais divulgar o total do número de casos e de morte pela Covid-19 “é uma tragédia”. As informações são da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo.

“Não informar corretamente significa que o estado pode ser mais nocivo do que a doença”, afirmou ele durante uma live com o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, organizada pelo IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público).

Para o ex-ministro, esconder dados da população “seria uma plástica transformadora”. “Me parece que o que estão querendo fazer é uma grande cirurgia nos números”, disse.

Segundo o ex-ministro, depois da saída do seu sucessor na pasta, Nelson Teich, os militares tomaram de vez o ministério. O general Eduardo Pazuello foi oficializado como titular da pasta. “Talvez nomeando alguém que não tem muito compromisso com o setor de saúde, mas sim com uma cultura militar, de lealdade e de cumprimento de missão, ficaria mais fácil manipular e torcer os números”.

De acodo com ele, a atitude seria de lealdade, mas uma “lealdade burra e genocida”. “Talvez seja isso o que a gente vá presenciar: uma grande noite da ciência”, disse ele.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Fotos íntimas de apresentadora italiana são vazadas em aplicativos de mensagens no Brasil
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Após se aposentar da Globo, Sérgio Chapelin aparece com novo visual; veja
+ Nick Cordero morre aos 41 anos, vítima de complicações da Covid-19
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior