Mundo

Manifestante pró-democracia é esfaqueado em Hong Kong

Manifestante pró-democracia é esfaqueado em Hong Kong

Um dos "Lennon Walls" de Hong Kong repleto de mensagens de apoio ao movimento pró-democracia - AFP

Um homem que carregava panfletos a favor do movimento pró-democracia de Hong Kong foi esfaqueado no pescoço e no abdômen neste sábado (19), no segundo incidente desse tipo em menos de uma semana.

A vítima, de 19 anos e que usava uma máscara e vestia uma roupa preta, foi apunhalado no distrito de Tai Po (nordeste) perto de um “Lennon Walls”, uma das várias paredes e muros em locais públicos cobertos por mensagens de paz e de apoio ao movimento pró-democracia, informou a polícia, acrescentando que o jovem ferido foi levado para um hospital.

Em imagens publicadas em redes sociais, é possível ver o suposto agressor portando uma faca ensanguentada pouco depois do ataque gritando: “Hong Kong é parte da China […] [Vocês] arruinaram Hong Kong”.

A polícia confirmou que um indivíduo de 22 anos foi preso.

“O homem veio correndo em direção ao meu amigo e o esfaqueou no pescoço. Então meu amigo tentou fugir, mas ele caiu e foi esfaqueado no abdômen”, disse uma testemunha à imprensa local.

Os “Lennon Walls”, cobertos com bilhetes e cartazes coloridos, estão espalhados por centenas de locais em Honk Kong, como estações de metrô e passagens subterrâneas para pedestres. Receberam esse nome em referência a um famoso muro em Praga, na República Checa, chamado Lennon Wall ou John Lennon Wall, que desde a década de 1980 é preenchido com grafites inspirados no falecido músico, trechos de letras de músicas de seu grupo, os Beatles, e outras mensagens relacionadas a causas locais e globais

Há quatro meses, essa região semi-autônoma está passando por sua pior crise política desde que deixou de ser administrada pelo Reino Unido e passou a ficar sob às ordens da China em 1997, com protestos quase diários que exigem reformas democráticas e denunciam a crescente interferência de Pequim nos assuntos internos do território