Brasil

Mandetta lamenta marca de 60 mil mortes e ataca governo: ‘Nau sem rumo’

Crédito: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta comentou na quarta-feira (1º) a marca de mais de 60 mil mortes por Covid-19 no Brasil. De acordo com os número oficiais do governo, o Brasil alcançou 60.632 mortes.

“Mais de 60 mil pessoas perdidas. Nau sem rumo. Força SUS. Força Minas, Região Centro Oeste e Região Sul”, escreveu Mandetta no Twitter. “Governos passam. Quem preserva a vida pode ter a chance de comemorar o que a ciência trará!”, concluiu o ex-ministro.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Na avaliação do Ministério da Saúde, o país atingiu um platô, quando a curva do número de mortes entra em um momento de estabilização. Nas últimas semanas, o total de novos óbitos vêm oscilando.

Ainda de acordo com o balanço do Ministério da Saúde, foram registrados 46.712 novos casos confirmados da doença. Com isso, o total de casos acumulados de Covid-19 subiu para 1.488.753. Diferentemente da curva de mortes, na evolução dos números de pessoas infectadas o Brasil segue subindo.

“A curva de novos casos vai numa inclinação e a curva dos óbitos tem se mantido”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo de Medeiros, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

Dados do Ministério da Saúde mostram que 561.255 pacientes estão em observação, enquanto o total de recuperados desde o início da pandemia é de 826.866.

Veja também

+ Gésio Amadeu, o Chefe Chico de Chiquititas, morre após contrair Covid-19

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Seu cabelo revela o que você come (e seu nível socioeconômico)

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?