Major Olimpio: ‘Bolsonaro disse impropérios, eu disse outros, e nunca mais falamos’

Crédito: GABRIEL REIS

Senador Major Olimpio (Crédito: GABRIEL REIS)

Em conversa com a coluna, o senador Major Olimpio (PSL-SP) explicou por que não fala mais com seu ex-aliado Jair Bolsonaro. Confira trechos da entrevista.

O senhor era amigo de Bolsonaro. Por que romperam?
No dia 20 de agosto de 2019, eu discutia ao telefone com o senador Flávio, por conta da CPI da Lava Toga. Ele queria que eu retirasse a assinatura da CPI. O presidente tomou o telefone da mão do filho e me falou impropérios. Eu lhe disse outros e nunca mais falamos.

O presidente queria proteger o filho de ações no STF?
Claramente. Cinco dias antes, Bolsonaro me pediu que eu saísse do grupo Muda Senado, pois eles queriam prejudicar o Flávio. De repente, começou a falar mal do Moro, dizendo que ele era “cintura de aço”, não queria demitir o superintendente da PF no Rio. Bolsonaro tinha ciúmes de Moro, porque o ministro era mais popular do que ele.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.