Comportamento

Brasileiro vai ao espaço por R$ 12 mil, mas já teve quem pagasse R$ 144 milhões

Experiência durará poucos minutos e o engenheiro Victor Hespanha superará a barreira dos 100 Km de altitude no foguete New Shepard

Crédito:  Blue Origin

CORRIDA Bilionários querem transformar as viagens ao espaço em entretenimento rotineiro (Crédito: Blue Origin)

Saiu “de graça” a passagem para o espaço de Victor Hespanha. Por meros R$ 12 mil, o engenheiro de 28 anos poderá atestar que “a Terra é azul” e viver a experiência da ausência de gravidade. Há pouco mais de duas semanas, Hespanha comprou três NFTs, o token não-fungível, ou representação de algo valioso em forma digital, da Cripto Space Agency, que desenvolve produtos de tecnologia espacial, além de promover as criptomoedas e as possibilidades de exploração sideral. A vaga na New Shepard, nome da nave espacial da empresa Blue Origin, do bilionário Jeff Bezos, foi sorteada entre os clientes e o mineiro venceu. Surpreso, ele comentou que realizava “um sonho de criança”, depois de confessar que ficou com um pouco de medo.

A data da missão NS-21, que o levará ao espaço, ainda não foi divulgada, mas Victor Hespanha já faz história como o segundo brasileiro (e primeiro civil) a ir para o espaço depois do militar e astronauta Marcos Pontes. O ex-ministro foi selecionado pela Nasa e esteve na Estação Espacial Internacional em 2006 em uma missão por dez dias.

SORTE O engenheiro Victor Hespanha comprou NFTs e foi surpreendido com uma vaga na New Shepard, nave de Jeff Bezos (Crédito:Divulgação)

Victor Hespanha voará ao lado do americano Evan Dick, que integrou uma missão da New Shepard em dezembro do ano passado, do empresário e piloto de aviões comerciais Hamish Harding, de dois investidores chamados Jaison Robinson e Victor Vescovo e de Katya Echazarreta, que será a primeira mulher mexicana no espaço.

A experiência espacial, no quinto voo tripulado da New Shepard, deve durar pouco mais que dez minutos. Mas cruzará a barreira de altitude de 100 quilômetros, a chamada Linha de Kármán, que é considerada a fronteira espacial, e experimentará a gravidade zero por quatro minutos antes do retorno à Terra.

Para se ter uma ideia de como sairá barata a viagem de Hespanha, basta compará-la com uma vaga no foguete do voo de 2021, arrematada em um leilão. O lance vencedor foi de US$ 28 milhões ou perto de R$ 144 milhões. Quem viajou aos 18 anos foi o holandês Oliver Daeman, depois do pai Joes, dono da Somerset Capital Partners, pagar uma quantia não revelada para o comprador que desistiu. Esses valores seguem direto para a Blue Origin, do americano Jeff Bezos, fundador da Amazon que participa da corrida pelos clientes bilionários do turismo espacial contra as concorrentes Virgin Galactic e a SpaceX, respectivamente de Richard Brason e Elon Musk. O banco suíço UBS estimou que o mercado turístico voltado para essa era dos voos espaciais comerciais estará valendo US$ 3 bilhões em uma década. Mas Victor Hespanha não vai precisar colocar a mão no bolso para ter a mais incrível experiência de sua vida.