Economia

Maioria das bolsas europeias fecha em alta com otimismo sobre acordo EUA-China

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta sexta-feira, 15, à exceção apenas da Bolsa de Lisboa, impulsionadas por notícias vindas dos Estados Unidos sobre avanços nas negociações comerciais com a China. O otimismo, no entanto, foi contido.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,26%, aos 405,46 pontos, com leve alta semanal de 0,01%.

Investidores, que operavam com dúvidas sobre o andamento do acordo sino-americano, ficaram mais dispostos ao risco após a fala de Larry Kudlow, diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca. Ontem, ele afirmou que as negociações com a China estão perto da conclusão.

O secretário do Comércio americano, Wilbur Ross, declarou hoje à Fox Business que um acordo será feito “com toda possibilidade”. Ross também ressaltou que “o presidente Donald Trump não concordou em remover tarifas à China”, mas ponderou que um acordo de “fase 1” será “o primeiro grande passo” rumo a um entendimento bilateral.

O otimismo é contido, no entanto, em meio a relatos recentes de fontes próximas às negociações sobre uma trava nas conversas, diante da dificuldade de consenso em questões como compras de produtos agrícolas.

O índice FTSE 100, em Londres, avançou 0,14%, a 7.302,94 pontos, mas teve queda semanal de 0,77%. Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX fechou em alta de 0,47%, aos 13.241,75 pontos, com ganho de 0,10% na semana.

Em Paris, o índice CAC 40 fechou com valorização de 0,65%, aos 5.939,27 pontos, e alta semanal de 0,84%. O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, avançou 0,46%, aos 23.588,59 pontos, e subiu 0,23% no acumulado da semana.

Nos ibéricos, o índice Ibex 35, da Bolsa de Madri, fechou em alta de 0,96%, a 9.261,40 pontos, mas recuou 1,41% na semana, enquanto o PSI 20, de Lisboa, caiu 0,13%, a 5.267,66 pontos, e cedeu 0,70% nesta semana.

Ainda nesta sexta-feira, foram divulgados dois indicadores da zona do euro pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da região subiu 0,7% na comparação anual de outubro. O resultado confirmou a preliminar, que registrou menor nível desde 2016, e veio em linha com a previsão de analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. Na comparação mensal de outubro, o CPI da zona do euro avançou 0,2%, assim como previsto por analistas.

A zona do euro também registrou superávit comercial de 18,7 bilhões de euros em setembro, segundo dados com ajustes sazonais. O resultado é maior do que o registrado no mesmo mês de 2018, quando o superávit foi de 12,6 bilhões de euros.