Finanças

Maioria das bolsas da Ásia caem, mas mercados da China sobem com PMI

A maioria das bolsas da Ásia fecharam o pregão desta sexta-feira em queda, pressionadas por ações de tecnologia. A exceção ficou para os mercados acionários da China, onde repercutiu bem os números do índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial.

A baixa dos papéis de tecnologia ocorreu na esteira da desvalorização destes papéis na véspera em Nova York. O setor tem sido afetado nos últimos dias por uma multa bilionária aplicada pela Comissão Europeia contra o Google e problemas de segurança de redes.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng terminou com baixa de 0,77%, aos 25.764,58 pontos. Os papéis da China Mobile cederam 0,30% e da i-CABLE Communications perderam 1,01%. No semestre, no entanto, a bolsa local teve valorização de 17,11%.

Na Bolsa de Taipei, as ações da fabricante de computadores Acer tiveram desvalorização de 0,31%. O índice Taiex recuou 0,26%, para 10.395,07 pontos. No semestre, porém, o avanço foi de 12,34%.

Em Seul, as ações da Samsung caíram 0,83%. O índice Kospi teve desvalorização de 0,16%, para 2.391,79 pontos. No semestre, houve avanço de 18,03%.

Na Bolsa de Sydney, o recuo foi de 1,66%, para 5.721,50 pontos. No semestre, o índice S&P/ASX 200 ganhou 0,98%. Os papéis BHP Billiton recuaram 0,85%, no dia em que a empresa anunciou um aporte de US$ 174 milhões para o fundo de recuperação da região afetada pelo desastre da Barragem do Fundão. A empresa informou ainda que a Samarco, de qual é dona de 50%, não volta a operar este ano.

Na contramão dos demais mercados, as bolsas da China subiram, na esteira da surpreendente alta do PMI industrial do país. O índice avançou para 51,7 em junho de 51,2 em maio, contrariando estimativa média de economistas consultados pelo Wall Street Journal, que esperavam queda para 51,1.

O índice Xangai Composto subiu 0,14%, para 3.192,43 pontos. No semestre, a valorização foi de 2,86%. Já o Shenzhen Composto avançou no dia 0,29%, para 1.897,69 pontos, e recuou 3,63% no semestre. (com informações da Dow Jones Newswires)

Tópicos

Ásia bolsas