Cultura

Maestro João Carlos Martins apresenta live da Bachiana Filarmônica Sesi-SP

O maestro João Carlos Martins irá conduzir nesta sexta-feira, 7, às 19h30, a Bachiana Filarmônica Sesi-SP, em uma live. A transmissão será feita diretamente do Centro Cultural Fiesp nos canais oficiais do Sesi no YouTube e Facebook. O espetáculo apresentado será A Magia da Dança e contará com todas as recomendações de distanciamento social necessárias para evitar a proliferação de covid-19.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Em A Magia da Dança, em pouco mais de uma hora, o maestro João Carlos Martins vai levar o público para uma viagem fascinante pelo mundo da música associada à dança desde o Renascimento até a atualidade. De Johann Sebastian Bach a Adoniran Barbosa e Astor Piazzolla, de Boccherini a Beethoven, das danças húngaras de Brahms à música de balé de Tchaikovsky.

No palco, todos os artistas ficarão em uma distância segura. O pianista considerado fenômeno Davi Campolongo, de 14 anos de idade, vai solar dois minuetos e a rapsódia húngara de Liszt. Além disso, o casal de bailarinos Juliana Gomes e Leandro Neves, ex-integrantes da Companhia Cisne Negro, também irão se apresentar.

A Bachiana Filarmônica Sesi-SP já se apresentou duas vezes durante a pandemia do novo coronavírus, na quarentena. As duas apresentações virtuais realizadas até o momento tiveram mais de 80 mil acessos.

Veja também

+Cidadania divulga calendário de pagamentos da extensão do auxílio emergencial

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea