Geral

Mãe de Henry diz que estava em outro quarto, acordou com barulho da TV e já encontrou filho caído no chão

Crédito: Reprodução/Facebook

A mãe de Henry Borel, Monique Medeiros, afirmou em depoimento na 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca), no Rio de Janeiro, que viu o filho já no chão do quarto do casal após ter passado mal. A criança morreu no último dia 8. As informações são do G1.

Ainda de acordo com Monique, ela e o namorado, o médico e vereador do Rio de Janeiro Jairo Souza Santos Júnior, o Doutor Jairinho (Solidariedade), estavam em outro quarto assistindo televisão, enquanto o filho dormia no quarto do casal.

À polícia, Jairinho, padrasto do menino, contou que estava assistindo a uma série no quarto de hóspedes com a mulher para não incomodar o sono do enteado. Monique afirmou que acordou por volta das 3h30 com o barulho da TV ligada.

Conforme o vereador, ele estava dormindo profundamente, à base de remédios, quando a namorada foi até o quarto do casal e encontrou Henry já caído, com os “olhos revirados e mãos e pés gelados”.

Ainda segundo o G1, os investigadores questionaram o que poderia ter causado as lesões apontadas pelo laudo de necropsia do garoto e Monique afirmou que imaginava que Henry teria acordado, ficado em pé em cima da cama e se desequilibrado ou até tropeçado no encosto da poltrona e caído no chão.


+ Atleta de Jiu Jitsu morre aos 30 anos de Covid 15 dias após perder o pai pela doença
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



Ela também relatou que, quando deu banho no filho, não percebeu qualquer lesão grave. Jairinho foi quem dirigiu até o hospital Barra D’Or. Apesar de ser médico, o vereador afirmou que a última vez que tinha feito massagem cardíaca foi em um boneco, ainda na faculdade.

Já Monique afirmou que fez uma manobra de respiração boca-a-boca, apesar de não saber realizar o procedimento.

“Entreguei o menino perfeito”, diz pai de Henry

Segundo o depoimento do pai do menino, Leniel Borel de Almeida, ele e o filho passaram o fim de semana juntos. Por volta das 19h de domingo (7), o pai deixou o filho no condomínio onde a mãe mora. Na madrugada do último dia 8, Leniel disse que recebeu uma ligação de sua ex-mulher afirmando que iria levar o filho ao hospital.

“A primeira reação foi perguntar [a Monique e Jairinho] o que tinha acontecido. Porque eu não sabia o que tinha acontecido. Entreguei o menino perfeito”, disse o pai ao RJ2, da TV Globo.

Quando o pai encontrou o casal, Monique e Jairinho contaram que Henry havia feito um “barulho estranho” enquanto dormia. “O que poderia acontecer com uma criança dormindo para ter sido um acidente doméstico? Só queria entender. Ele era tudo para mim. Daria tudo que tenho hoje só para ter mais um dia com meu filho”, afirmou Leniel ao RJ2.

Novos depoimentos

A Polícia Civil pretende ouvir mais testemunhas e fazer novas diligências para tentar esclarecer o que houve com o menino Henry Borel, de 4 anos.

Na tarde de segunda-feira, a polícia chegou a fazer uma perícia no apartamento de Monique e Dr. Jairinho. No entanto, quando os peritos chegaram, uma funcionária do casal já tinha feito a limpeza do local.

A 16ª DP (Barra) também recolheu imagens de câmeras de segurança mostrando que Henry chegou bem ao condomínio onde moram a mãe e o padrasto. Ele foi levado até lá pelo pai.

Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS