Geral

Mãe consegue arrecadar R$ 12 milhões para ‘remédio mais caro do mundo’

Mãe consegue arrecadar R$ 12 milhões para ‘remédio mais caro do mundo’

A família da bebê Marina Moraes de Souza Roda, de 1 ano e 11 meses, conseguiu arrecadar R$ 12 milhões em doações para comprar o “remédio mais caro do mundo”. Aos oito meses, Marina foi diagnosticada com atrofia muscular espinhal (AME), uma doença rara e degenerativa, passada de pais para filhos.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

A AME interfere na capacidade do corpo de produzir uma proteína essencial para a sobrevivência dos neurônios motores, responsáveis pelos gestos voluntários vitais simples do corpo, como respirar, engolir e se mover. O medicamento chamado Zolgensma custa US$ 2,125 milhões (cerca de R$ 12 milhões) e é a primeira terapia genética que promete agir na causa raiz da doença.

De acordo com Talita Roda, mãe da menina, a campanha durou cerca de 10 meses e contou com o apoio de diversos famosos e até do Corinthians. A família também teve o apoio do governo estadual e federal. Em São Paulo, o governador João Doria isentou o medicamento de impostos, o mesmo foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro em âmbito nacional.

A aplicação do remédio começou nesta sexta-feira (7) e foi transmitida em uma live no perfil da campanha que arrecadou o dinheiro para Marina.

View this post on Instagram

A post shared by M A R I N A – Mama (@cureamarina) on

 

 

Veja também

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea