Mundo

Macron nomeia primeira premiê mulher na França em 30 anos

PARIS, 16 MAI (ANSA) – O presidente da França, Emmanuel Macron, nomeou nesta segunda-feira (16) a ministra do Trabalho, Elisabeth Borne, como nova premiê do país, após sua reeleição há três semanas.   

Com 61 anos, Borne é a primeira mulher no cargo depois de Edith Cresson, indicada há 30 anos pelo então presidente socialista François Mitterrand.   


“O presidente da República nomeou a senhora Elisabeth Borne como primeira-ministra e encarregou-a de formar um governo”, diz uma mensagem na página oficial do Palácio do Eliseu.   

Após vários anos como membro do Partido Socialista francês, a nova chefe de governo juntou-se a Macron em 2017, quando assumiu a pasta dos Transportes. Depois de dois anos no cargo, ela passou a liderar o Ministério da Transição Ecológica e Inclusiva.   

Já em julho de 2020, Borne tornou-se ministra do Trabalho, Emprego e Integração. Desde então, a taxa de desemprego na França caiu para os níveis mais baixos em 15 anos.   

A indicação da nova premiê francesa é anunciada depois do conservador Jean Castex formalizar sua demissão após quase dois anos na função, em um ato simbólico.   

Reeleito para mais um mandato de cinco anos, o centrista do República em Marcha venceu a representante da extrema-direita Marine Le Pen, que afirmou que a indicação de Borne vai trazer “destruição social” para a França.   

“Ao nomear Elisabeth Borne como primeira-ministra, Emmanuel Macron demonstra a sua incapacidade de união e a vontade de prosseguir a sua política de desprezo, desconstrução do Estado, destruição social, extorsão fiscal e frouxidão”, escreveu ela no Twitter. (ANSA)