O presidente francês, Emmanuel Macron, denunciou, nesta sexta-feira (16), os ataques cibernéticos realizados pela Rússia como parte de uma “política de agressão” que exige uma “reação coletiva” da comunidade internacional.

“O regime do Kremlin agrediu a Ucrânia, um país europeu, há dois anos”, e “intensificou e endureceu suas agressões contra nosso país no campo da desinformação e da cibernética”, declarou Macron em uma coletiva de imprensa em Paris ao lado do presidente ucraniano, Volodimir Zelensky.

“A Rússia de Putin se tornou um ator metódico na desestabilização do mundo”, acrescentou.

“Claramente, uma reação europeia é necessária e, mais amplamente, de nossos aliados, de nossos parceiros e da comunidade internacional”, acrescentou, após assinar com a Ucrânia um acordo de segurança que prevê um aumento na ajuda militar à ex-república soviética confrontada com uma invasão russa.

Macron também instou a Rússia a “dar explicações sem demora” sobre as suspeitas de “possível implantação de armas nucleares no espaço”.

vl-fff-hr/sac/cbn/js/am