Mundo

Lula venceria Bolsonaro nas eleições de 2022, aponta Datafolha

Lula venceria Bolsonaro nas eleições de 2022, aponta Datafolha

(Arquivo) O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva emerge agora como possível candidato nas eleições de 2022 - AFP/Arquivos


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva derrotaria o atual presidente Jair Bolsonaro por ampla margem nas eleições de 2022, segundo pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta quarta-feira (12).

Lula obteria 41% dos votos no primeiro turno, contra 23% de Bolsonaro. Em um segundo turno, o petista prevaleceria por 55% a 32%, segundo a pesquisa, realizada entre terça e quarta-feira com 2.071 pessoas.

O terceiro colocado no primeiro turno, com 7% das intenções de voto, é o ex-juiz Sergio Moro, que assinou a sentença que rendeu a Lula 17 meses de prisão entre 2018 e 2019 por acusações de corrupção, segundo o Datafolha, que tem margem de erro de 2 pontos percentuais para cima e para baixo.

O ex-presidente Lula (2003-2010), que sempre se declarou inocente, recuperou os seus direitos políticos em março, após a anulação do processo contra ele por uma questão de jurisdição.

Dessa forma, o líder do Partido dos Trabalhadores (PT) voltou a ter o direito de disputar as eleições de outubro de 2022 e, desde então, tem se reunido com políticos, empresários e potenciais aliados, mas sem especificar se será candidato.

Na pesquisa sobre intenção de voto espontâneo (sem lista de nomes), a vantagem de Lula é menor: 21%, contra 17% para Bolsonaro, enquanto 49% dos entrevistados declaram “não saber” em quem votariam.

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

Lula e Bolsonaro, apesar de liderarem as pesquisas, também apresentam as maiores taxas de rejeição entre o eleitorado, 36% e 54%, respectivamente.

Bolsonaro tem seu maior apoio entre os empresários (49%), entre os que ganham de 5 a 10 salários mínimos (30%) e na região Sul (28%).

Lula mantém seu reduto eleitoral no Nordeste (56%) e seu maior apoio entre os que têm ensino fundamental (51%) e os que ganham de um a dois salários mínimos (47%).

O Brasil vive uma crise econômica alimentada pela pandemia do coronavírus, que já deixou mais de 428 mil mortos.

Uma CPI no Senado investiga a gestão da pandemia pelo governo Bolsonaro, que minimizou sua gravidade, criticou o uso de máscaras e questionou a eficácia das vacinas.

Veja também
+ Sabrina Sato mostra corpo musculoso em clique na floresta
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago