Mundo

Lula recupera terreno e ganharia com folga de Bolsonaro (pesquisa)

Lula recupera terreno e ganharia com folga de Bolsonaro (pesquisa)

O líder esquerdista lidera a corrida pelo Palácio do Planalto com 48% das intenções de voto - AFP/Arquivos

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recuperou o terreno perdido contra o presidente Jair Bolsonaro na disputa pela presidência, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira, que volta a flertar com a ideia de uma vitória de Lula no primeiro turno.

O líder esquerdista lidera a corrida pelo Palácio do Planalto com 48% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro, que aparece com 27%, segundo pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal “Folha de S. Paulo”.

Embora não seja diretamente comparável à pesquisa de março, na qual foram projetados cenários com outros candidatos, Lula ampliou sua vantagem para 21 pontos no primeiro turno, que será disputado em 2 de outubro. Em março, ela era de 17 pontos, após Bolsonaro reduzir a brecha em relação à pesquisa de dezembro, na qual Lula também aparecia com 48% das intenções de voto.

A pesquisa de hoje incluiu um cenário com os votos válidos e revelou que o ex-presidente venceria no primeiro turno nesse caso, com 54% dos votos, contra 30% para Bolsonaro.

Embora Lula lidere as pesquisas com folga, especialmente desde que saiu da prisão, após ser condenado por corrupção, sua campanha evita cair no triunfalismo. Em um eventual segundo turno, o líder do PT venceria Bolsonaro por 58% a 33%, com uma vantagem três pontos maior do que na pesquisa anterior.

A nova pesquisa Datafolha consolida a polarização entre Bolsonaro e Lula. Trata-se do primeiro estudo sem o ex-juiz da operação Lava Jato, Sérgio Moro, e o ex-governador de São Paulo João Doria.

A senadora Simone Tebet aparece em quinto lugar, com 2% das intenções de voto, empatada com o centrista André Janones. Em terceiro lugar aparece Ciro Gomes, de centro-esquerda, com 7%, contra 6% no levantamento anterior.

Para Creomar de Souza, analista da consultoria Dharma, a pesquisa mostra que “a falta de melhoras na economia” pode estar criando “uma tendência em favor de Lula”. Além disso, “Bolsonaro sofre mais com a rejeição e tem mais dificuldade de falar para fora da bolha do que Lula”, acrescentou.

O Datafolha ouviu 2.556 pessoas entre 25 e 26 de maio, em 181 cidades brasileiras. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.