Lula no Reinaldo Azevedo, parte 2: nada muda o meliante de São Bernardo

Crédito: Reprodução

(Crédito: Reprodução)


Na sexta-feira passada eu escrevi, neste mesmo espaço, o que achei da entrevista concedida pelo ex-tudo (ex-presidente, ex-presidiário, ex-corrupto, ex-lavador de dinheiro), Lula da Silva, ao jornalista Reinaldo Azevedo, no programa “O É da Coisa”, na Rádio Bandeirantes FM.

A coluna repercutiu bastante, sobretudo nas hostes do lulopetismo, onde fui massacrado como de costume. Eu estou no melhor dos mundos, hehe. Detesto, politicamente falando, tanto o meliante de São Bernardo como o verdugo do Planalto, Jair Bolsonaro. Imaginem.

Os petralhas não gostaram nem um pouco de eu ter dito que Lula estava velho e envelhecido, com o raciocínio lento, repetindo as mesmas lorotas de outrora e visivelmente cansado. Cegos que são, viram um Lula altivo, vibrante, lúcido e revigorado. Então tá, né!!

Na minha opinião, inclusive, RA ou sentiu muita pena do chefe de quadrilha do petrolão, ou foi extremamente pragmático ao não contrariá-lo, permitindo que desfilasse um show de ideias mofadas, e mentiras ainda mais absurdas que as contadas por Jair Bolsonaro.

O bilontra do PT, por exemplo, disse que, na crise financeira mundial de 2008, ligou para Barack Hussein Obama para “ensinar” como transformar o tsunami numa marolinha, e que o mesmo havia lhe dito ser impossível fazer o mesmo nos EUA (pobre Estados Unidos).


+ Pastor é processado por orar pela morte de Paulo Gustavo
+ Vídeo: Aluno é flagrado fazendo sexo durante aula da UFSC
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra



O diabo é que, na época, o presidente era George Bush, e Obama nem sequer sonhava com a presidência. Segundo Lula, ele lhe disse que não dispunha de bancos oficiais, como a Caixa e o BB, para poder “salvar” os Estados Unidos, como ele (Lula) “salvou” o Brasil.

Sendo assim, das duas, uma: ou Lula é mentiroso ou está gagá! E minha análise, portanto, está correta. Mas não foi só. O quadrilheiro também disse que foi graças a uma conversa sua com George Bush, que o G7 se transformou em G20, para incluir o Brasil e outros países.

Bem, Bush foi o presidente americano de 2001 a 2009, e Lula, o presidente brasileiro de 2003 a 2011. Acontece que o G20 foi criado em 26 de setembro de 1999. O G20 é um grupo que reúne a União Europeia e as 19 maiores economias do mundo. De novo: gagá ou mentiroso?

Pronto, petralhas, Já podem me xingar à vontade, sem contudo desmentir os fatos, é claro. Tal como os bolsoloides, vocês são incapazes de formular algo que não sejam ofensas ou chavões infantis. Um dia, Lula passará. Mas a vergonha, não. Vocês sabem o que é isso?

Veja também

+ Receita simples de bolo Red Velvet
+ Gabriel Medina torna-se alvo de sites de fofoca
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.