Lula ‘janta’ Bolsonaro por 7×1, segundo Datafolha

Crédito: Adriano Machado/Reuters/Fotoarena | Ricardo Stuckert

(Crédito: Adriano Machado/Reuters/Fotoarena | Ricardo Stuckert)


É inaceitável para qualquer país minimamente civilizado o favoritismo do líder do maior esquema de corrupção da história mundial. Você pode dar razão ao STF e considerar que houve excessos jurídicos por parte da Lava Jato, mas negar o que ocorreu, você não pode. Ou não deveria.

Igualmente inaceitável é o apoio que o psicopata homicida, que se encontra Chefe de Estado, ainda conta. Diante de tudo o que já sabemos e conhecemos, de tudo o que este amigo de miliciano já fez de mal ao País e de tudo o que ainda pode fazer caso reeleito, 23% de apoio é um crime.

Para alguém como eu que repugna os extremos representados pelo lulopetismo e pelo bolsonarismo, o cenário que se desenrola para a eleição presidencial do ano que vem é muito mais que sombrio; é verdadeiramente catastrófico. Só seria pior se Ciro Gomes estivesse no páreo.

O lulopetismo aparelhou o Estado, corrompeu as Instituições, destruiu a economia do Brasil e nos atirou nas mãos do devoto da cloroquina. O bolsonarismo, por sua vez, aparelhou o Estado, corrompeu as Instituições, destruiu a economia do País e ressuscitou, com o STF, o meliante petista.

O lulopetismo é autocrata e totalitário. O bolsonarismo, idem. O lulopetismo vive do populismo barato e de conchavos políticos espúrios. O bolsonarismo, idem. O lulopetismo é sócio dos piores políticos e empresários do Brasil. O bolsonarismo, idem. Ambos representam nosso desastre como nação.

Em 2018, por desespero de causa, votei neste proto ditador de quinta categoria. E mesmo não esperando nada de bom, quebrei feio a cara!, pois ele se revelou tão ou mais nocivo e grotesco que Lula, PT e a corja que lhes cerca. Em 2022, é claro que não repetirei o voto, daí meu desespero.

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

O pai do senador das rachadinhas e da mansão de 6 milhões de reais reencontrou seu verdadeiro tamanho eleitoral; 15% – 25%. Já o ex-tudo do STF (ex-presidiário, ex-corrupto, ex-lavador de dinheiro, ex-chefe de quadrilha) retomou o vigor político que sempre o levou ao menos até o 2º turno.

Esperar por uma “terceira via” que alcance tais patamares de intenção de voto, em condições normais de temperatura e pressão, é esperar por um milagre que nunca aconteceu neste pobre pedaço de chão esquecido por Deus. Até porque, para que milagres ocorram, é preciso acender velas e rezar. Mas não para os demônios da nossa política, como fazemos insistentemente a cada dois ou quatro anos.

Veja também
+ Sabrina Sato mostra corpo musculoso em clique na floresta
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago



Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.