Lula é maravilhoso. Bolsonaro é maravilhoso. O lixo sou eu

Crédito: Lézio Júnior

(Crédito: Lézio Júnior)


Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, é o que dizem os livros sagrados. Como nunca me encontrei com Deus, no sentido físico do verbo, não posso nem concordar nem discordar, mas posso, no mínimo, duvidar: o Criador do universo não teria como assumir uma forma biológica única. Mas, enfim, crenças não foram feitas para serem discutidas; apenas respeitadas. Vamos ao que interessa.

O Brasil é monoteísta, o que vale dizer, a maioria absoluta da população acredita em Deus; em apenas um deus. Mas boa parte do povo precisa mais do que uma crença religiosa para encontrar esperança em dias melhores: precisa de mitos, de santos, de mártires. Precisa de gente de carne e osso para ser elevada à divindade redentora na Terra. Precisa de um Pai. E de um pai! De um deus mundano e real.

Uma boa parcela de brasileiros resolveu ter, como seu deus, o ex-tudo (ex-presidente, ex-presidiário, ex-corrupto, ex-lavador de dinheiro) Lula da Silva. E por mais que a realidade mostre que o meliante de São Bernardo é apenas um humano que cultiva pecados capitais ― luxúria, preguiça, ira, soberba ― e descumpre ao menos seis dos dez mandamentos, ajoelha-se em busca do pai ausente.

Já outra grande parcela, igualmente órfã de pais (Pai e pai), elegeu o verdugo do Planalto, Jair Bolsonaro, a representação terrena do Senhor salvador. E pouco lhes importa a confrontação com a verdade: rachadinhas, centrão, negacionismo, charlatanismo, psicopatia, milicianos, mansões, micheques. Ou mesmo os pecados (capitais) e o desrespeito às leis (divinas e humanas). Deuses não falham.

O Brasil é o Paraíso. Está tudo divinamente bem, na perfeita santa paz. Nada nos falta. Nossos deuses nos deram segurança, saúde, educação, bem-estar e desenvolvimento. Lula e Bolsonaro, ao contrário do que parecem, são seres divinos, dotados de extremo saber, amor ao próximo e honestidade inabalável. O demônio é que, ilusionista maléfico, nos faz perceber ― e sentir! ― tudo ao contrário.


+ Casal posta fotos nus em pontos turísticos e ganha fama na web
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ ‘Raça de víboras’: Andressa Urach critica seguidores que não acreditam em sua fé
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



Inclusive, eu, que expresso minha indignação com a miséria, corrupção, mentira, 400 mil mortes por Covid, falta de vacina, e desacredito em mitos ― e em deuses ―, e tenho desdém por idolatria, é que estou errado. Eu sou mal. Eu sou petista. Eu sou bolsonarista. Eu invento tudo. Eu sou um lixo. Isso! Um lixo. Ricardo Kertzman é um lixo. A IstoÉ é um lixo. Santo é o Lula. Santo é o Bolsonaro. Santificado é o Brasil.

Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.