Lula e a fabulosa mansão de 700 metros em bairro nobre de SP

Lula e a fabulosa mansão de 700 metros em bairro nobre de SP

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursa durante evento em São Paulo

Lula da Silva, o meliante de São Bernardo, dias atrás, em ato de campanha na CUT, ou algo assim, bateu sem dó nem piedade na classe média brasileira, alvo eterno da fúria sindical e da esquerda brasileira, sabe-se lá o porquê.

Sim, se há algo que a canhotinha nacional não suporta, é pobre que deixou de ser pobre mas não se tornou rico. No Brasil, oficialmente ao menos, classe média significa uma família com renda mensal de três a sete mil reais.


Há alguns anos, a amalucada Marilena Chauí, ícone da esquerda caviar, em surto irado berrou: ‘eu odeio a classe média, a classe média é o atraso, é a estupidez, é o que tem de mais reacionário, ignorante e terrorista’, sob aplausos e zurros da plateia esquerdopata.

A ‘filósofa’, por certo, não se referia à classe média pobre, pois massa de manobra de seus ídolos cretinos populistas. Ela se referia à classe média rica, àquela que ‘consome bens materiais, muda de casa, compra carro e acha que ficou rica’ (palavras enojadas da moça).

A valente também não se referia aos ricos de verdade do País, como as famílias Andrade (Andrade e Gutierrez), Villela (Banco Itaú), Odebrecht e outros bilionários do ‘socialismo brasuca’, que irrigaram, durante décadas, os bolsos e cofres das esquerdas do Brasil.

Voltando ao ex-tudo (ex-presidente, ex-presidiário, ex-corrupto e ex-lavador de dinheiro), é sabido que casou, mudou e não me convidou. O capo petista contraiu núpcias em luxuoso salão de festas, com regabofe de primeira, para cerca de 150 convidados em São Paulo.

A pajelança durou cerca de nove horas, e ninguém pôde entrar com celular. Sabem como é, né? Quando se trata de socialismo, tudo é público. Já o capitalismo, só no privado. Afinal, ‘eu odeio a classe média que bebe vinho caro e fuma charuto cubano, porra’!

Livre, leve e solto pelos ‘brodinhos’ do Supremo, e embolsando indenizações por ter sido chamado de ‘líder de quadrilha’, o pai do Ronaldinho dos Negócios trocou São Bernardo por Sampa, e o AP humilde em que morava com a ‘galega’ por uma luxuosa mansão.

Com 700 metros quadrados, piscina, quatro suítes, oito banheiros (taqueopariu!!) e churrasqueira, o novo puxadinho do pai dos pobres deixa o sítio de Atibaia (que não é dele) e o triplex de Guarujá (que também não é dele) parecendo cafofo de quarto e sala.

Outro dia, o chefão do mensalão e petrolão – vixe, lá vem processo nimim!! – surgiu ostentando um relógio Piaget, avaliado em 90 mil reais (o mesmo valor dos micheques do Queiroz). Isso porque Lula, Chauí e companhia odeiam a classe média. Imagino se gostassem.






Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.