Agronegócio

Luiz Mendonça deixa presidência da Atvos; Juliana Baiardi assume

São Paulo, 23 – O executivo Luiz de Mendonça deixará a presidência da Atvos, braço sucroenergético da Odebrecht, após sete anos na companhia e 17 anos no conglomerado. Segundo comunicado interno obtido pelo Broadcast Agro (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), Mendonça ficará até o dia 30 e abril no cargo e será substituído por Juliana Baiardi, atual presidente da Odebrecht Transport (OTP). Ela é engenheira civil formada pela Universidade Federal da Bahia, com MBA na Universidade de Columbia e teve 14 anos de experiência no mercado financeiro antes de ingressar, em 2011, na companhia.

Segundo o comunicado, a executiva “tem experiência, competência e alinhamento cultural para conduzir a Atvos a um novo ciclo de crescimento e de excelência operacional, apoiando os executivos e suas equipes de mais de 11 mil integrantes distribuídos em nove unidades agroindustriais”. O documento informa também que Juliana “adicionalmente, dará continuidade à reestruturação financeira do negócio”, ou seja, a renegociação da dívida estimada em R$ 12 bilhões.

Na atual safra 2019/2020 de cana-de-açúcar, Atvos prevê moagem de 27 milhões de toneladas em suas usinas, pouco mais de 1% superior ao total de 26,7 milhões de toneladas do fechamento da safra 2018/2019. O volume estimado para ser processado corresponde, no entanto, a 75% da capacidade de moagem das usinas da Atvos, de 36 milhões de toneladas.

Segundo maior produtora de etanol no País, a Atvos projeta oferta de 2,1 bilhões de litros do biocombustível no período atual, ante 2,08 bilhões de litros em 2018/2019. A produção de açúcar deve somar 237 mil de toneladas de açúcar em 2019/2020, alta de 11,8% sobre as 212 mil toneladas produzidas do adoçante na mesma base de comparação.