Brasil

Luiz Fux nomeia ex-diretor da PF como assessor especial de segurança e compliance

A gestão do próximo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, vai contar com o ex-diretor da Polícia Federal Rogério Galloro em um cargo de assessor especial. Segundo o Estadão apurou com integrantes da Corte, Galloro vai cuidar de questões de segurança, compliance (na gestão interna do tribunal) e relações interinstitucionais da presidência de Fux. O ministro assumirá o comando do Supremo no dia 10 de setembro.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Galloro atuou como assessor especial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante a presidência da ministra Rosa Weber. Lá, usou sua expertise na área de segurança para ajudar o TSE em questões referentes à segurança cibernética e disseminação de fake news. Coordenou a Comissão Avaliadora do Teste Público de Segurança (TPS) 2019 do Sistema Eletrônico de Votação e um seminário internacional sobre desinformação.

Desde que Rosa deixou a presidência do TSE, em maio, Galloro já está trabalhando com a equipe de Fux.

Delegado federal há 25 anos, Galloro é visto como de perfil técnico, com maior afinidade para cargos administrativos. Antes de ser diretor-executivo da PF na gestão de Leandro Daiello, Galloro foi superintendente em Goiás, diretor de Administração e Logística e adido policial nos Estados Unidos.

Também atuou como coordenador das forças da PF na Copa de 2014 e na Olimpíada de 2016. Desde 2017, quando assumiu a Secretaria Nacional de Justiça, ele também integra o Comitê Executivo da Interpol.

No final do governo Temer, o então diretor-geral da PF exaltou em mensagem interna a colegas as investigações “com especial foco no combate à corrupção e ao desvio de verbas públicas”.

Com a chegada de Bolsonaro à Presidência da República, Galloro foi substituído pelo delegado Maurício Valeixo, nome indicado pelo então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Galloro se formou em direito, possui MBA em Gestão de Políticas de Segurança Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e especialização em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UnB).

Posse

A posse do ministro Fux terá a presença de menos de 50 pessoas por causa da pandemia do coronavírus. Entre os convidados para estarem presencialmente na cerimônia, estão o presidente Jair Bolsonaro e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e ministros da Corte. Integrantes de outros tribunais superiores e outras autoridades serão convidadas a acompanhar o evento por uma transmissão na internet.

Fux pretende levar o convite a Bolsonaro presencialmente. Será a primeira vez que eles se encontrarão após o ministro ser confirmado como próximo presidente do STF.

Veja também

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Por decisão judicial, Ciro Gomes tem imóvel penhorado em processo com Collor

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea