ISTOÉ Gente

Luisa Mell relembra experiência em galeria de Romero Britto em São Paulo

Crédito: Reprodução/Instagram

O episódio recente de uma mulher que quebrou uma obra de Romero Britto fez com que Luísa Mell usasse seu Instagram para trazer à tona um outro episódio envolvendo o artista plástico. O momento em especial ocorreu quando a ativista ainda trabalhava como repórter de televisão.

Mell contou que uma de suas pautas foi entrevistar Romero Britto. Porém, ao chegar no local, ele não estava e assim, ela foi recebido pela irmã do artista. Na história, comenta que foi “humilhada” pela mulher.

“Quando eu comecei como repórter, no programa da Monique Evans, fui fazer uma reportagem na galeria dele em SP. Ele não estava. Mas sua irmã me tratou tão mal, me humilhou por causa da minha roupa… chorei tanto, que borrei a maquiagem que nem consegui fazer a reportagem. Nunca comentei nada. Mas agora vejo que não foi um caso isolado…”, contou.

O comentário de Luísa foi publicado por ela mesmo em uma postagem do perfil do Instagram Mídia Ninja, que noticiava o ocorrido recentemente.

Veja o comentário de Luisa Mell abaixo:


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Reprodução/Instagram

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Boletim médico de apresentador da RedeTV! indica novo sangramento no cérebro
+ Yamaha se despede da SR 400 após 43 anos de produção
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel