Geral

Luis Miranda chega ao Senado com colete à prova de balas

Crédito: Reprodução/ Twitter

Luis Miranda chega ao Senado com colete à prova de balas (Crédito: Reprodução/ Twitter)

O deputado Luis Miranda (DEM-DF) chegou ao Senado, para participar da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, vestido com um colete à prova de balas. Na chegada ao Congresso, o parlamentar estava acompanhado de agentes da polícia legislativa.

CPI será prorrogada para apurar caso da Covaxin, diz blog


CPI vai analisar possibilidade de levar Bolsonaro ao STF por prevaricação

Na CPI, deputado cita líder do governo em esquema da Covaxin

Na quinta-feira (24), o deputado protocolou um pedido de prisão por coação contra o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, e o assessor da Casa Civil Élcio Franco à CPI da Covid-19 no Senado.

No documento, Miranda alega ter sido vítima de ameaças pelos dois em coletiva realizada na quarta-feira (23). Onyx afirmou que o presidente Jair Bolsonaro determinou uma investigação da Polícia Federal sobre o parlamentar e seu irmão, o servidor Luis Ricardo Fernandes Miranda, do Ministério da Saúde. O motivo são as denúncias sobre um esquema de corrupção na compra de vacina contra covid-19.

“Contaram com o apoio de todo aparato estatal da Presidência da República, a saber, convocaram a imprensa para uma coletiva (….) para prejudicar a mim e meu irmão”, diz o documento endereçado ao presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD), por Miranda.

“Ele vai se entender com Deus e com a gente também”, disse o ministro em pronunciamento no fim da tarde no Palácio do Planalto.

Covaxin

Aliado do governo, o deputado Luis Miranda afirmou ter levado a Jair Bolsonaro, em 20 de março, denúncia sobre suposto esquema de corrupção na compra da vacina indiana Covaxin. Em entrevista coletiva, Onyx informou que Bolsonaro mandou a Polícia Federal investigar o deputado e o irmão do parlamentar, Luís Ricardo, que também participou da reunião na ocasião. O governo nega irregularidades na negociação.

* Com informações da Agência Estado