Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Em entrevista ao “Extra”, às vésperas da comemoração do Dia do Orgulho LBGTQA+, o ator Luís Lobianco chamou atenção para que a luta contra o preconceito não pare.

Viúvo de Paulo Gustavo mostra dia na praia com os filhos
Whindersson Nunes manda flores para mulher trans que teve corpo queimado
Pabllo Vittar vai às lagrimas ao ‘revisitar’ casa em que morou no Pará

“Muitas vezes a pessoa está no armário porque é massacrada, oprimida, tem medo, a vida inteira ela ouviu que o que ela está fazendo, o que ela é, errado. A gente precisa compreender um pouco muita gente que tá no armário e que precisa do seu tempo de entendimento. Porque senão fica parecendo que toda pessoa que está no armário é homofóbica. E aí a culpa da homofobia acaba no colo do LGBT de novo. Assim como não foi o negro que inventou o racismo, racismo é coisa de branco, a LGBTfobia não foi inventada por nós. Tenho muita vontade fazer a continuação desses filme pra falar sobre isso”, afirmou.

“Nossa, tem muita gente no armário. E tem muito armário diferente. A gente está num momento de perceber e identificar quem são os isentos coniventes com a política a que está submetido no momento. Não dá mais pra pessoas públicas, artistas, que têm influência, só se beneficiarem das redes sociais. De publicidade, anúncio. E não se posicionarem contra o massacre que a gente está vivendo. Esse é o grande momento pra gente falar desse armário da isenção. Acho que todo artista que se beneficia das maravilhas que as redes sociais podem oferecer, tem que se posicionar também”, completou o ator.