ISTOÉ Gente

Luana Piovani sobre seu bumbum: “É mole, tem celulite, mas é grande”

Crédito: Reprodução/Instagram

Luana Piovani usou as redes sociais nessa quinta-feira (6) para relembrar a capa da revista Playboy, quando posou nua em abril de 2016. Nos comentários, seguidores chegaram a sugerir que a foto teria recebido Photoshop. A apresentadora fez questão de responder, negando qualquer possibilidade, e até mesmo mostrando certa irritação.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

“Vocês são umas loucas, eu jamais deixaria mexer na minha bunda, não tem nada de Photoshop a minha Playboy, tem é tratamento de imagem, harmonização de cores e luzes. Vocês não me conhecem mesmo ou estão com dor de ver a chulapa da minha bunda”, disse Piovani.

“Essa bunda é minha, ela existe, é mole, tem celulite mas é grande, ‘fia’. E nessa posição, ela se empina para a parte da frente do corpo ficar todo vertical. Engulam minha bunda e ponto. (…) Aff, vocês me cansam. Ainda bem que estou musa indo tomar uma piscininha [drink]”, completou.

Confira o post de Luana abaixo:

 

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea