Mundo

Londres promete ajudar vítimas do conflito norte-irlandês a encontrar a ‘verdade’

Londres promete ajudar vítimas do conflito norte-irlandês a encontrar a ‘verdade’

Boris Johnson visita base militar britânica com ministro para a Irlanda do Norte, Brandon Lewis - Pool/AFP/Arquivos


O governo britânico se comprometeu nesta quinta-feira (13) a ajudar as famílias das vítimas do conflito na Irlanda do Norte a terem acesso à “verdade” sobre os desaparecidos durante 30 anos de combates na província britânica.

Um dia depois de o primeiro-ministro Boris Johnson se desculpar pelos sangrentos tiroteios de 1971 no bairro de Ballymurphy, em Belfast, seu ministro para a Irlanda do Norte, Brandon Lewis, prestou homenagem à “paciência” e à determinação das famílias, em uma declaração aos parlamentares britânicos.

Uma juíza da Irlanda do Norte decidiu na terça-feira (11) que o Exército britânico usou força injustificada no “massacre de Ballymurphy”, considerado um dos episódios mais mortais em três décadas de violência entre católicos republicanos e protestantes partidários da coroa britânica.

Até o acordo de paz de 1998, o conflito deixou 3.500 mortos.

“Este governo quer avançar, abordando o legado do passado na Irlanda do Norte, um caminho que permitirá que todos os indivíduos, ou famílias que desejam informações, busquem e recebam respostas sobre o que aconteceu”, disse Lewis.

Ele também defendeu uma medida que “pavimenta o caminho para uma reconciliação social mais ampla para todas as comunidades”.

Vinte e três anos após o acordo de paz, “milhares de mortes continuam sem solução”, disse o ministro.

O governo quer dar uma resposta que “reflita o tempo que passou, a complexidade da turbulenta história da Irlanda do Norte e a realidade dos compromissos já assumidos”. Mas, acima de tudo, “de uma forma que permita às vítimas e sobreviventes terem acesso à verdade que merecem”, frisou.

Johnson escreveu às famílias das vítimas de Ballymurphy, enviando uma carta a cada uma, mas estas rejeitaram essas “desculpas de terceiros”.

+ Sabrina Sato aparece com micro biquíni e surpreende seguidores

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

Briege Voyle, cuja mãe foi morta a tiros pelos militares britânicos, disse que a polícia deve agora investigar, e o Ministério da Defesa, “dar as informações de que dispõe”.

Veja também
+ Deputado dos EUA sugere mudar órbita da Lua para combater aquecimento
+ Ex-parceiro de Cristiano Araújo é encontrado morto
+ Policial militar mata a tiros quatro pessoas em pizzaria de Porto Alegre
+ Sérgio Mallandro diz que atrapalhou sexo de Xuxa com Ayrton Senna
+ Mano Brown se irrita com possível acerto do Santos com volante do Corinthians: ‘Tá tirando’
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago