Saúde da mulher

Livre-se da ‘positividade tóxica’ e abrace suas dificuldades em 2022

Crédito: Pexels

Você já deve ter se deparado, ao rolar pelo Instagram, com posts sobre “gratidão”. Ou alguém pode ter sugerido que você fizesse um “diário da gratidão”, escrevendo coisas pelas quais é grata todos os dias, porque isso supostamente te faria mais feliz. Faria mesmo?

+ Psicoterapeuta indica 7 estratégias para lidar com o luto

+ Como iniciar 2022 com mais leveza: balanço da saúde mental após dois anos de pandemia

A pandemia minou a saúde mental de muitos. Segundo a revista “The Lancet”, em todo o mundo, 53 milhões de novos casos de depressão e 76 milhões de casos de ansiedade surgiram em 2020. E mesmo assim, diariamente, pessoas são bombardeadas com declarações como “Você é o que você pensa”, “Lembre-se do quão abençoada é apenas por estar viva” e “Uma mente negativa não trará uma vida positiva”. Essas e outras frases similares são típicas da positividade tóxica. Entenda com informações da “Women’s Health”. 

O que é a positividade tóxica

Se pesquisar “#positividade” ou “#gratidão” no Instagram, existem grandes chances de você acabar se sentindo culpada por não estar sendo grata o suficiente. Afinal, 619 mil pessoas já perderam suas vidas para a covid-19, e você não é uma delas. No entanto, isso não significa que você não tenha problemas. 

Segundo a psicoterapeuta Whitney Goodman, quando a positividade sugere que você não pode estar chateada, já que outras pessoas têm problemas piores que os seus; e se você se chatear você não está sendo grata pelo que tem, isso é positividade tóxica. “[A positividade tóxica] Nega nossas emoções e nos força a suprimi-las, nos diz que nossas emoções não deveriam existir e que, se tentarmos o suficiente, podemos eliminá-las completamente”. 

Esse comportamento é difundido em larga escala pelos — muitas vezes desqualificados — “gurus” espirituais do Instagram, que propagam o “poder curativo” de ser grato e a eficácia da “lei da atração”. 

Por que a positividade tóxica se tornou predominante

A positividade tóxica ganhou força durante a pandemia — um tempo de tristeza e incerteza. Segundo a jornalista Ali Pantony, “[a positividade tóxica] pode ser o produto de uma sociedade ‘viciada’ em ‘soluções rápidas’ e ‘gratidão instantânea’, com baixa tolerância ao desconforto”, e a ideia de que você pode simplesmente cultivar a felicidade apenas pensando nela, ajuda. Entretanto, como colocado por Whitney, “é impossível sentir gratidão o tempo todo, e não é saudável negligenciar a parte negativa da vida”. 

Em 2018, um estudo publicado pela PubMed descobriu que pessoas que evitavam ou negligenciavam regularmente suas emoções negativas se sentiam piores a longo prazo. “Se sentimentos são adormecidos pela repressão, ignorância ou negação através de ‘pensamentos positivos’, eles não vão embora, apenas voltam mais fortes”, declara o psicoterapeuta Owen O’Kane. 

Como usar a positividade de forma saudável

Segundo os especialistas, não há nada de errado com a positividade — fora dessa subcultura “displicente”. Na verdade, muitos exercícios da terapia cognitivo-comportamental focados na reestruturação cognitiva trabalham para mudar pensamentos autocríticos — quando você reconhece suas emoções, se permite senti-las.

Whitney menciona a técnica de Terapia Dialética Comportamental “aceitação radical”: “[A técnica] Reconhece que a dor é uma parte inevitável da vida e que lutar contra ela geralmente leva a mais sofrimento”, explica. E completa: “Eu acredito verdadeiramente que esse seja o antídoto para a positividade tóxica. Quando praticamos essa habilidade, estamos aceitando que não podemos alterar a realidade, mesmo se não gostamos dela”.

Aceitar suas emoções enquanto quebra o ciclo da culpa pode ser difícil, principalmente quando se está exposta à positividade tóxica constantemente. No entanto, lembre-se que, para ter uma atitude positiva, é necessário reconhecer suas inevitáveis emoções negativas e navegar por elas. 

Como refletir sobre o agora

Lembre-se que o sofrimento é normal, mas que você deve consultar um profissional da saúde mental se sentir que as emoções estão “pesadas” demais.

A dica dos especialistas é não apresentar resistência à vida como ela é, mas praticar flexibilidade e fazer ajustes para que aprenda a lidar melhor com as dificuldades. Apesar de não poder mudar o mundo, você tem controle sobre como age. 

Evite saturar sua mente com informações extremamente positivas ou extremamente negativas que fazem com que você sinta que está falhando. Além disso, reserve diariamente um tempo para seu autocuidado, realizando atividades que tragam paz à mente. Lembre-se que todos os sentimentos são válidos e você pode — e deve —  aprender com eles.