Cultura

Lives solidárias arrecadam mais de R$ 720 mil por aplicativo no feriadão

A Central de Doações do PicPay chega a R$ 6,5 milhões em doações, após lives de Wanessa Camargo, Villa Mix e Guilherme & Santiago neste domingo

Crédito: Divulgação

Entretenimento e solidariedade inspiraram mais um final de semana de isolamento social, que teve programação intensa de lives solidárias. Os shows patrocinados pelo aplicativo de pagamentos à distância PicPay arrecadaram mais de R$ 720 mil neste feriadão. No total, a Central de Doações criada pela fintech ultrapassou os R$ 6,5 milhões angariados para diversas ONGs e instituições que estão no combate à Covid-19.

Neste domingo, Wanessa Camargo se apresentou com repertório que abrangeu seus 20 anos de carreira, de “Eu Quero ser o seu Amor”, de 2001, a “Vou Lembrar”, lançada ano passado. Ao ler o QR Code no televisor, os espectadores eram direcionados para contribuir com uma das 12 instituições cadastradas na Central de Doações.

Transmitida do interior do Goiás, a 2ª edição do festival Villa Mix em Casa reuniu Gusttavo Lima, César Menotti & Fabiano, Leonardo e Matheus & Kauan. Em 8 horas de live, os cantores incentivaram as doações para a AACD e o Hospital de Amor, de Barretos.

Com 30 anos de estrada, a dupla Guilherme & Santiago foi do modão ao sertanejo universitário em sua primeira live, cantando músicas como “Jogado na Rua” e “Casa Amarela”. Mesa Brasil GO foi a iniciativa promovida durante o show.

Outros cantores sertanejos também fizeram lives solidárias patrocinadas pelo PicPay nos últimos dias. No sábado, a dupla Jorge & Mateus arrecadou R$ 78 mil para UNICEF. Já no feriado do Dia do Trabalhador, as transmissões “Cabaré” (com Leonardo e Eduardo Costa) e “Campo Musical” (com Gabriel Sater, Rulian e Claudio Lacerda) obtiveram R$ 405 mil para o Hospital de Amor e o projeto Mesa Brasil Sesc.

Doações por QR code

Com o objetivo de apoiar causas fora da Central de Doações ou levantar recursos para o próprio sustento, muitos artistas têm incluído de forma orgânica o QR Code do PicPay em suas lives – tendência que vem crescendo nos últimos finais de semana. Assim foi com as apresentações da cantora gospel Midian Lima, do selo musical Sound Food Gang, da pernambucana Eduarda Alves, dos forrozeiros Trio Maracá e da dupla Gino e Geno.

O CEO do PicPay, Gueitiro Genso, explica que todo usuário do aplicativo tem um QR Code pessoal, o qual pode ser usado para arrecadar doações ou recursos próprios nas lives, como couvert artístico ou honorários por serviços remotos. “Durante a quarentena, estamos vendo os casos de uso do QR Code se expandirem, por ser uma tecnologia mais prática, segura e democrática. Qualquer pessoa com um celular com câmera pode fazer pagamentos em segundos. Além disso, é por meio do apoio do público que muitos artistas têm conseguido manter seus trabalhos durante a crise”, diz.

O coletivo FilmaRio (@filmario no app), que reúne profissionais da cadeia produtiva audiovisual carioca, é um exemplo fora do meio musical a utilizar o PicPay. O grupo, em parceria com o 342 Artes, começou uma campanha que visa arrecadar recursos para ajudar centenas de trabalhadores da cultura parados nesse momento de crise. Na última sexta-feira, foi divulgado um vídeo com diversos artistas consagrados apoiando a iniciativa, entre eles Paulo Gustavo, Fernanda Torres, Glória Pires e Rodrigo Santoro.

Veja também

+ A incrível história do judeu que trabalhou para os nazistas na Grécia

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Santo Stefano: Esta vila italiana te paga R$ 52 mil para se mudar

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar