Comportamento

Líderes religiosos pedem fim das execuções federais nos EUA

Líderes religiosos pedem fim das execuções federais nos EUA

Grupo de líderes religiosos dos Estados Unidos pediram ao presidente de Estados Unidos Donald Trump que abandone os planos de retomar as execuções no nível federal. - GETTY IMAGES/AFP/Arquivos

Mais de 1.000 líderes religiosos nos Estados Unidos pediram nesta terça-feira ao presidente Donald Trump que abandone os planos de retomar as execuções no nível federal, após um hiato de 17 anos.

“Quando nosso país enfrentar a pandemia de COVID-19, a crise econômica e o racismo sistêmico no sistema jurídico criminal, devemos nos concentrar na defesa e preservação da vida, e não na execução de execuções”, disseram líderes de diferentes grupos cristãos em comunicado.

“Parem o cronograma de execução federal”, disseram.

O Departamento de Justiça anunciou no mês passado que as execuções federais seriam retomadas em 13 de julho.

Desde que a pena de morte foi restabelecida em 1988, apenas três execuções foram realizadas no nível federal.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Entre os que assinaram a carta a Trump e ao procurador-geral Bill Barr estão os líderes da Igreja Católica, que se opõem à pena de morte, mas também os evangélicos, que estão mais divididos sobre o assunto.

“Como evangélico, estou com o coração partido ao ver nosso país matar seus cidadãos novamente”, disse Carlos Malave, diretor executivo da Christian Churches Together.

“Reiniciar execuções durante uma pandemia deveria estar tão longe de nossas mentes”.

Charles Thompson, arcebispo da arquidiocese católica de Indianápolis, que inclui a penitenciária Terre Haute, onde estão localizados os prisioneiros federais do corredor da morte, também se opôs a retomar essas execuções.

“Tirar a vida das pessoas, não importa quão ‘sanitário’ ou ‘humano’ seja, é sempre um ato de violência”, disse Thompson. “Eu faço essa reivindicação contra a pena de morte por preocupação com a alma eterna da humanidade”.

A Suprema Corte dos Estados Unidos se recusou a intervir no mês passado na decisão de retomar as execuções federais.

Somente em alguns estados dos Estados Unidos, principalmente no sul conservador, as execuções continuam ocorrendo. Um total de 22 pessoas foram executadas em 2019.

Veja também

+ Seu cabelo revela o que você come (e seu nível socioeconômico)

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Gésio Amadeu, o Chefe Chico de Chiquititas, morre após contrair Covid-19

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?