Economia

Líderes do Podemos e do SD reforçam perspectiva de se votar reforma até 6ª feira

Líderes da Câmara acreditam que será possível votar a Previdência em dois turnos no plenário da Casa até esta sexta-feira. Para isso, eles estão trabalhando para minimizar dificuldades no trâmite da reforma.

“Vamos tentar terminar na sexta-feira. A ideia é que partidos favoráveis não apresentem destaques”, afirmou o líder do Solidariedade, Augusto Coutinho (PE), ao deixar reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O líder do Solidariedade disse que alguns deputados do PSL ainda insistem em apresentar destaque para abrandar regras para policiais federais no Plenário. Na avaliação dele, se o partido de Bolsonaro fizer isso, poderá “abrir a porteira” para demais legendas fazerem o mesmo e pedirem mudanças para outras categorias as quais eles apoiam.

Veja também

+ Veja como é a esteira de R$ 44 mil que o governo pretende comprar
+ Os cães podem ver espíritos e fantasmas? A ciência tenta responder
+ Mc Mirella revela as suas tatuagens. Veja fotos
+ Voge 500DS, uma chinesa para bater de frente com a Honda CB 500 X
+ Colocar o espelho desta maneira vai fazer você ganhar mais espaço

Apesar disso, o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), disse que a sigla não apresentará o destaque.

Coutinho disse ainda que imagina que o presidente Jair Bolsonaro está convencido em não pedir mudanças pra policiais.

Ele afirmou também que o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, que estavam na reunião, disseram que Bolsonaro quer evitar riscos de não votar reforma.

O líder do Podemos, José Nelto (GO), ponderou que é preciso “muita cautela” e que o “governo também precisa entrar em campo” e garantir votos. Ele disse ainda que a orientação é que os partidos favoráveis à reforma não apresentem destaques, mas lembrou que a oposição deve tentar obstruir.