Mundo

Líder do Partido do Brexit desiste de disputar eleições

LONDRES, 12 NOV (ANSA) – Nigel Farage, um dos principais representantes da campanha a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), anunciou nesta segunda-feira (11) que seu partido não disputará as eleições legislativas de 12 de dezembro, para não competir votos pró-Brexit com o Partido Conservador do primeiro-ministro Boris Johnson. O anúncio ocorreu durante um comício em Hartpool, no nordeste da Inglaterra, e oferece uma ajuda potencialmente decisiva às chances do premier britânico de conquistar uma maioria absoluta do Parlamento. Nas últimas eleições, os conservadores garantiram 317 cadeiras, de um total de 650. Farage explicou que a decisão é difícil, mas significa que está colocando o país à frente do partido, ao formar uma “aliança” com os conservadores. O objetivo é derrotar siglas que estão tentando barrar o divórcio, entre elas o Partido Trabalhista, o Partido Nacionalista Escocês e os Democratas Liberais. Segundo o político britânico, se 600 candidatos forem colocados “para jogo”, haverá um “parlamento suspenso”. Para Farage, um resultado incerto pode resultar em um segundo referendo, o que poderia suspender a saída do Reino Unido do bloco e não é seu objetivo. Após ser obrigado a pedir um terceiro adiamento da data do Brexit, agora até 31 de janeiro de 2020, Johnson prometeu realizar o divórcio caso obtenha assentos suficientes.   

“Nós, conservadores, precisamos somente de mais nove cadeiras para conseguir maioria e sair (da UE) no final de janeiro com um acordo”, escreveu Johnson em sua conta no Twitter.   

O primeiro-ministro ainda agradeceu Farage por ter reconhecido que um parlamento paralisado não gera benefícios ao processo de saída do país da União Europeia. Johnson aposta suas fichas na ampliação da bancada conservadora para garantir a aprovação do acordo com o bloco. Enquanto isso, a oposição busca voltar ao governo depois de nove anos e convocar um segundo plebiscito sobre o Brexit. (ANSA)