Mundo

Líbano prende 16 funcionários de porto por explosões

ROMA, 6 AGO (ANSA) – A procuradoria militar do Líbano anunciou nesta quinta-feira (6) que pelo menos 16 funcionários do porto de Beirute foram detidos após as fortes explosões na área, que deixaram ao menos 137 mortos e 5 mil feridos.   

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

A medida ocorre no âmbito da investigação sobre as possíveis causas do incidente, depois que foi descoberto que o depósito do local abrigava 2.750 toneladas de nitrato de amônio apreendidas no fim de 2013, sem a devida segurança.   

De acordo com comunicado do promotor militar Fadi Akiki, todos os detidos são funcionários “do conselho de administração do porto de Beirute e da administração de alfândegas e encarregados de trabalhos de manutenção e [operários] que realizaram trabalhos no armazém”.   

Ontem (5), diversas autoridades portuárias já haviam sido colocadas em prisão domiciliar após a forte explosão deixar pelo menos 137 mortos e 5 mil feridos, segundo o balanço atualizado pelo Ministério da Saúde do Líbano. (ANSA)

Veja também

+ Ford anuncia local e investimento de US$ 700 milhões em fábrica que criará F-150 elétrico

+ RJ: tráfico promete caçar quem gravou equipe do Bravo da Rocinha: ‘Vai morrer’

+ Hubble mostra nova imagem de Júpiter e sua lua Europa

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea