Esportes

Levir Culpi mantém Marcos Júnior e Wellington no ataque do Fluminense

O técnico Levir Culpi esboçou no treino deste sábado o provável time do Fluminense que entrará em campo para enfrentar o Corinthians neste domingo, às 16 horas, no estádio Itaquerão, em São Paulo, pela 27.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Da equipe que saiu de campo eliminada da Copa do Brasil na última quarta-feira para o mesmo Corinthians, a única novidade será a ausência do lateral-direito Wellington Silva, que precisará cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Igor Julião será o substituto.

A formação tática, no entanto, será a mesma, sem um centroavante fixo. O Fluminense deve entrar em campo com: Júlio César; Igor Julião, Gum, Henrique e William Matheus; Pierre, Douglas, Cícero e Gustavo Scarpa; Marcos Júnior e Wellington.

RECUPERAÇÃO – A novidade do dia ficou por conta do início da transição de Diego Cavalieri para a preparação física. Ao lado do preparador Jefferson Souza, o goleiro deu voltas no gramado na etapa final de recuperação de uma lesão no músculo da coxa esquerda que o afastou dos gramados desde o último dia 7.

O Fluminense vem de vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio, fora de casa, pelo Brasileirão. O resultado o levou para a sexta colocação, com 40 pontos, a cinco de uma vaga no G4. O Corinthians está em quinto lugar, com 41.

Veja também

+Cidadania divulga calendário de pagamentos da extensão do auxílio emergencial

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea