Istoé em Tóquio

Lesão, ouro compartilhado e comemoração com gesso: a jornada de Gianmarco Tamberi para a glória

Italiano fraturou o tornozelo meses antes da Rio 2016 e passou por momentos delicados. Quem o reergueu foi Motaz Barshim, que conquistou o ouro junto com o atleta em Tóquio

Lesão, ouro compartilhado e comemoração com gesso: a jornada de Gianmarco Tamberi para a glória

O domingo dos Jogos Olímpicos de Tóquio ficou marcado por uma medalha de ouro dividida entre dois competidores no atletismo. Empatados após várias tentativas no salto em altura, Gianmarco Tamberi (ITA) e Mutaz Barshim (QAT) decidiram encerrar a prova com o primeiro lugar compartilhado. Contudo, a história de amizade entre os dois e superação do italiano chamam atenção na conquista nesta Olimpíada.

+ Atleta dos Estados Unidos protesta em favor dos oprimidos em pódio nos Jogos Olímpicos: ‘Não é só sobre mim’

+ Cubanos se lesionam, e grego conquista o ouro na última tentativa do salto em distância

+ Isaquias Queiroz e Jacky Godmann avançam às semifinais do C2 1000m

Há pouco mais de cinco anos, meses antes da Olimpíada do Rio, Tamberi sofreu uma fratura no tornozelo em uma competição em Monaco e perdeu os Jogos de 2016. Após longo período parado e ameaças de aposentadoria, o atleta voltou a competir em alto nível e superou a marca de 2,37m em Tóquio para faturar o ouro. Na comemoração, usou o gesso utilizado na perna durante a lesão que tinha escrita a frase: ‘Rumo a Toquio’.

Amizade com Barshin


Quando retornou a competir, em 2017, o italiano não estava confiante nos saltos e realizava provas abaixo da média. Após erros em todas as tentativas em um campeonato em Paris, Gianmarco se trancou em um quarto de hotel e não queria falar com ninguém. Foi aí que apareceu o atleta qatari para mudar a vida do companheiro de prova.

Mutaz Barshim apareceu na porta de Tamberi e bateu até que o italiano atendesse. Na conversa, o qatari viu o companheiro de profissão chorar e se abrir, e o aconselhou a realizar novas provas. Após o papo, Gianmarco participou de um torneio em Budapeste, onde fez bons saltos. Ao conquistar o ouro compartilhado, os atletas se abraçaram e comemoram juntos.

– Não tente acelerar o processo. Você teve uma lesão muito grave e já está de volta na Diamond League. Ninguém esperava isso. Mas você precisa do seu tempo, não se cobre tanto tão cedo. Apenas veja o que vai acontecer – lembrou Barshim – disse Mutaz Barshim ao amigo italiano.

– Alguma coisa dentro de mim mudou, eu voltei a viver. Lá (torneio em Budapeste), eu me tornei um saltador em altura novamente – relatou Tamberi.

Veja também
+ Corpo de Gabby Petito é encontrado, diz site; legista afirma que foi homicídio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Instituto Gabriel Medina fecha portas em Maresias
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio