Brasil

Laudo aponta que não houve impulso em queda de advogada morta no PR

Crédito: Arquivo pessoal

Luis Felipe Mainvailer e Tatiane Spitzner (Crédito: Arquivo pessoal)

Laudo divulgado pela Polícia Científica do Paraná aponta que não houve impulso na queda da advogada Tatiane Spitzner, encontrada morta em prédio da cidade de Guarapuava (PR). Segundo o portal G1, as informações do laudo contradizem o marido da vítima, Luis Felipe Manvailer. Preso após a morte da esposa, Manvailer alegou que Tatiane teria se jogado da varanda do apartamento.

O laudo aponta que haveria duas possibilidades para a queda: desequilíbrio involuntário ou abandono de corpo inerte.

O caso

Tatiane foi encontrada morta na madrugada do dia 22 de julho, após cair da varanda de seu apartamento, no quarto andar de um prédio em Guarapuava. Momentos antes da queda, câmeras de segurança mostraram uma violenta discussão entre Tatiane e Manvailer. As câmeras mostraram que Tatiane foi agredida e arrastada até seu apartamento após chegar ao prédio de carro com o marido. Manvailer recolheu o corpo e o levou de volta ao apartamento.

Ele foi preso poucas horas após o crime, após sofrer um acidente de automóvel a 340 quilômetros da cidade. Manvailer foi denunciado Ministério Público do Paraná (MP-PR) pelos crimes de homicídio com quatro qualificadoras (meio cruel, dificultar defesa da vítima, motivo torpe e feminicídio), cárcere privado e fraude processual.

Tópicos

tatiane spitzner